Construção da Ferrogrão contribuirá para redução do Custo Brasil e de emissões de CO²

Em entrevista ao portal Brasil61.com, o deputado federal Neri Geller (PP-MT) disse que a construção da ferrovia representa ganhos para o Brasil nas áreas econômica, social e ambiental

 

Por: Marquezan Araújo/Agência Brasil 61

 

Com investimentos estimados em R$ 21,5 bilhões e 933 quilômetros de extensão, a obra da Ferrogrão – trecho ferroviário entre a cidade de Sinop, em Mato Grosso, e o distrito de Miritituba, no Pará, aguarda liberação do Supremo Tribunal Federal (STF). Os ministros devem julgar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade proposta pelo PSOL. O julgamento ocorreria no último dia 15, mas foi retirado de pauta e não há previsão de nova data.

Com a Ferrogrão, a expectativa é de redução do tráfego de caminhões pela BR 163. O prazo de concessão da obra é de 69 anos. Outra projeção indica que, se a ferrovia estivesse em funcionamento, o custo do frete seria de R$ 110 por tonelada, quase a metade do valor pago no frete rodoviário.

Para dar mais detalhes sobre esse empreendimento, o portal Brasil61.com convidou o deputado federal Neri Geller (PP-MT). O parlamentar representa um dos estados mais beneficiados com a construção da estrada de ferro.

Confira a entrevista

Brasil61: De que forma a Ferrogrão pode contribuir para a evolução do Brasil, nos campos econômico, social e ambiental?

Deputado Federal Neri Geller (PP-MT): “A Ferrogrão é importante não só para Mato Grosso, para o Pará ou para a região Norte, como é importante para o país e para o mundo. Vai ser um dos principais eixos de escoamento da produção de Mato Grosso e do sul do Pará, levando para os portos de Miritituba e de Santarém milhões de toneladas de milho, de soja e de algodão. E, em um segundo encadeamento, mudar a chave de exportação pelo Arco Norte, nesse caso por Santarém e Miritituba, para começarmos a exportar proteína animal, contribuindo para a redução do Custo Brasil e na redução da queima de óleo diesel, que joga CO² na atmosfera. Então, essa ferrovia tem importância economicamente, tem importância do ponto de vista social, porque gera emprego, renda, e principalmente ela vai reduzir o Custo Brasil.”

Brasil61: A construção de ferrovias é uma demanda antiga do setor produtivo para aumentar a eficiência logística em um país continental como o Brasil. Na sua avaliação, o que falta para o país avançar em linhas ferroviárias?

Deputado Federal Neri Geller (PP-MT): “No Brasil precisa-se reduzir a burocracia e diminuir também o debate ideológico, e sermos mais pragmáticos. Muitas vezes, o debate ideológico se sobrepõe a ações práticas, no caso de desenvolvimento econômico, social, e do ponto de vista da sustentabilidade. Uma ferrovia reduz de forma significativa a queima de óleo diesel. Isso é algo muito mais sustentável, ajudando muito mais o meio ambiente e traz economia. Essa ferrovia já deveria ter sido liberada no ano passado, para que pudéssemos ter licitado, e essa obra já estar acontecendo. E falo categoricamente: se nós já tivéssemos a Lei Geral do Licenciamento Ambiental, essas matérias seriam superadas. Então, ela é importantíssima do ponto de vista econômico, social e ambiental, para o Brasil e para o mundo.”

Brasil61: Que outras vantagens podem ser apontadas a partir da construção da Ferrogrão, sobretudo que sejam perceptíveis para o consumidor final?

Deputado Federal Neri Geller (PP-MT): “Do ponto de vista econômico, nós vamos reduzir no mínimo em 30% o custo do frete, e vai dar mais celeridade no escoamento da produção. Quem conhece a BR 163 sabe que lá é a rodovia da morte, porque as estradas não comportam as cargas que passam por lá. São milhares de caminhões que passam por lá. A manutenção da estrada é muito precária. Se nós tivermos a Ferrogrão, vamos diminuir o custo do frete em quase 30%, e vai aumentar os investimentos, porque mais empresas vão se instalar nos terminais portuários e, com isso, vamos ficar muito mais competitivos, inclusive na mudança da questão das exportações. Não exportar apenas grãos. Será um ganho extraordinário, com aumento da produtividade, na questão da sustentabilidade, incorporar áreas degradadas ao sistema de produção de grãos, que envolve também a questão do plantio direto, e vai levar muito mais investimento para essas regiões.”

Brasil61: Em relação ao julgamento do STF sobre a continuidade das obras da Ferrogrão, como está sua expectativa?

Deputado Federal Neri Geller (PP-MT): “Estamos muito animados para que se tome a decisão mais correta. Eu respeito muito os poderes. O Congresso Nacional tem que ser independente, o Judiciário tem que ser independente, assim como o Executivo. Mas estamos muito confiantes de que a decisão vai ser positiva para liberar essa ferrovia. Será importante para o país. Ela é importante não só para o Brasil, mas também do ponto de vista da segurança alimentar no mundo. Vai matar fome de pessoas, vai gerar emprego, vai gerar renda e vai produzir o que é mais sagrado, que é alimento. E tem como caminhar junto à questão da sustentabilidade com o desenvolvimento. Estamos muito confiantes e acreditamos, sim, no bom senso dos ministros.”

Foto da capa:  Arquivo/PP
 

 

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,