40 anos de ensino: de alunos a professores da Uesb

Por Ascom/ Uesb

 

Natural de Itapetinga, Wesley Amaral sempre acreditou que a educação era o caminho para conseguir um futuro melhor. Para isso, ele contou com a Uesb, que esteve presente em sua vida desde a infância por meio do Programa de Iniciação à Leitura (Proler). Nesse espaço, “eu tive contato com o mundo dos livros, e isso foi fundamental para minha formação humana”, relembra.

Desde então, a história de Wesley caminha lado a lado com a Uesb. Em 2004, ele ingressou no curso de Pedagogia. Após a conclusão da graduação, ele continuou investindo em sua formação e especializou-se em Meio Ambiente e Desenvolvimento, momento em que descobriu sua aptidão para a área ambiental. Foi ali que decidiu fazer a sua segunda graduação, em Ciências Biológicas. Em seguida, foi aprovado no Mestrado de Ciências Ambientais da Universidade.

Em 2017, Wesley retornou, novamente, às salas de aula da Uesb, mas, dessa vez, como professor da Universidade. Hoje, ele conta que busca contribuir com a vida acadêmica e pessoal dos seus alunos, assim como aconteceu com ele. “Enquanto docente, reconheço que fui influenciado em minha formação cultural, educacional e científica por essa Instituição e que, sem a Uesb, eu não seria completo”, finaliza.

 

Foi na ciência que Marcelo Eça percebeu o quanto o ensino e a pesquisa poderiam andar juntos na atuação como professor universitário (Foto: Acervo Pessoal).

A Uesb também está presente na história de Marcelo Eça, químico que sempre sonhou em ser professor. A proximidade entre o campus de Jequié e Itaibo, distrito do município e local em que Marcelo morava, foi um dos fatores determinantes para a sua escolha pela Uesb, além de ser pública e possuir o curso de licenciatura em Química, único do interior da Bahia na época.

Já no segundo semestre de graduação, Marcelo teve o seu primeiro contato com a docência por meio dos estágios em escolas públicas e do projeto Universidade para Todos, no qual ministrou as disciplinas de Química e Física. Nesse mesmo período, o então discente também teve contato com a pesquisa mediante a bolsa de Iniciação Científica (IC) disponibilizada pela própria Uesb e, depois, “consegui uma bolsa de IC pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, que permaneci até a formatura, em 2005”, compartilha.

O período de IC foi crucial para a decisão de Marcelo pela carreira docente, pois foi quando percebeu que poderia conciliar o ensino com a pesquisa. Mas o anseio dele não se resumia em apenas ser professor: “meu sonho era ser professor da Uesb, em especial, no campus de Jequié”, destaca Marcelo. Em 2010, o sonho dele tornou-se realidade.

Ao lembrar de suas conquistas, Marcelo ressalta a importância da Universidade para sua vida. “A Uesb foi determinante para minha formação, pois tive a oportunidade de fazer um curso de alto nível, em uma universidade pública, gratuita e de qualidade. Hoje, sou plenamente realizado profissionalmente e pessoalmente”, afirma.

 

Além de professora, Ana Emília Ferraz é autora de uma coleção de livros sobre a história e geografia de Vitória da Conquista (Foto: Acervo Pessoal).

 

 

O desejo de ser professora também acompanhou a vida de Ana Emília de Quadros desde muito cedo. Cursar a graduação em Geografia na Uesb, em sua cidade natal, foi fundamental para a sua escolha em ser docente da área. “Quando eu vi a atuação dos professores de Geografia construindo um curso como o que eu estava fazendo na Universidade, aquilo me deixou encantada e eu soube que era o que eu gostaria de fazer”, relembra Ana Emília.

Assim, Ana Emília não teve dúvidas em retornar à Universidade que a formou. Em 1994, ela se tornou professora da Uesb. Desde então, a docente tem contribuído para o fortalecimento e desenvolvimento da Educação Superior. Entre várias ações, ela colaborou para a implantação do primeiro curso de Mestrado em Geografia do interior da Bahia.

Para Ana Emília, no entanto, a sua atuação junto à área de pesquisa, é o seu principal legado à Universidade. “Por meio das pesquisas realizadas pela Uesb, eu consegui produzir materiais que foram publicados e que, hoje, são de extrema importância para o entendimento da nossa cidade, já que eu venho me dedicando a trabalhar, estudar e pesquisar sobre Vitória da Conquista”, destaca.

 

Foto de Capa: Wesley Amaral em sua formatura de Ciências Biológicas na Uesb/ Acervo Pessoal.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,