5 mitos e verdades sobre adestramento canino

Por: Luísa Pires 

Quem não quer ter um pet obediente, que faz suas necessidades no local correto e sabe ficar quieto com um simples comando? A verdade é que ter um animalzinho exige cuidados que fazem diferença dentro do lar.

Durante a pandemia do COVID-19, houve um aumento de 30% no número de pets em lares brasileiros, de acordo com o Radar Pet 2020. Segundo a pesquisa, um aspecto comum, durante a pandemia, foi preferência por peludos mais jovens.

Para Luísa Pires, especialista em comportamento de cães e fundadora do Aufabeto – Centro Educacional de Cães, é muito bom ter animaizinhos em casa. Mas só o adestramento assertivo pode proporcionar uma qualidade de vida melhor ao cão e aos tutores. “Ao contrário do que parece, um cão adestrado sofrerá menos restrições na convivência com pessoas e outros animais. Um cão bem comportado pode ficar mais próximo das pessoas que gosta, inclusive  dentro de casa”, destaca Luisa.

Ela conta que um cão adestrado recebe mais atenção e interage mais com as pessoas do que um sem nenhum treinamento. “O adestramento, além de melhorar o comportamento do cão, o ajuda a ser mais tranquilo e equilibrado”, diz a especialista.

Ela ainda destaca ser comum ouvir diversos mitos e verdades relacionados ao adestramento. Confira!

  1.  O cão só obedece ao adestrador

Mito. “Um cão que se considera líder da matilha assume as funções e privilégios da posição. Quando o tutor exerce esse papel, é ele quem tomará decisões e, dessa forma, haverá muito menos conflito na relação. Assumir a liderança é fundamental para a boa convivência com o cão, pois os benefícios são inúmeros”, explica Luisa.

2.           É possível adestrar cachorros filhotes

Verdade. Quanto mais cedo ensinar o cão, mais fácil é o condicionamento e menos problemas serão enfrentados no futuro. “Educar não é resolver os problemas e sim evitar que eles aconteçam. Um filhote com apenas dois meses já pode aprender comandos simples como sentar, deitar, dar a pata, entre outros”, diz.

3.         Bater no cachorro é uma forma de adestrá-lo

Mito. Pelo contrário, bater e ameaçar são as piores atitudes que você pode ter em relação ao animal. “Fazer isso com seu cão, pode machucá-lo e torná-lo agressivo com outras pessoas”, aconselha a especialista.

  1. Só raças inteligentes aprendem

Mito. Claro que existem raças mais propensas a aprender com maior facilidade, mas isso não impede que outras raças aprendam algo novo. “Aqui, é importante que o tutor entenda o seu cão, e opte por sessões mais curtas para não desestimular o animalzinho. O ideal é que seja divertido para ambos”, afirma Luisa.

  1. Saber os comandos não basta

Verdade. Ensinar comandos a um cão não significa que ele irá parar de destruir os móveis ou pular nas pessoas. “Um adestramento bem feito deixa claro para o cão o significado dos comandos, o que você espera em determinadas  ocasiões e como se comportar em certos contextos”, diz.

Por fim, Luisa destaca: “Um cão adestrado é um cão sabido e não, necessariamente, equilibrado. É claro que um animal sem ensinamentos é mais difícil de ser obediente, já que ele não saberá, com tanta facilidade, o que se espera dele. Logo, associar o treinamento a  uma rotina com exercícios físicos e mentais, com certeza resultará em um cão obediente como também equilibrado. Equação de sucesso! ”, finaliza.

 

 

 

Foto de Capa: Divulgação

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,