79% das grandes indústrias fizeram investimentos produtivos em 2021, afirma CNI

Percentual é o maior desde 2014 e, na maioria dos casos, feito com recursos próprios. Neste ano, o principal foco dos planos de investimentos é o mercado interno

 

Por: Jornalismo – CNI <[email protected]

 

A pesquisa Investimento na Indústria 2021-2022, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que 79% das grandes indústrias realizaram investimentos em 2021, o maior percentual desde 2014. O valor representa um aumento importante em comparação com 2020, quando 69% dos grandes industriais investiram. De acordo com a pesquisa, houve ainda redução na frustração dos planos de investimento: 62% das empresas executaram seu plano conforme o planejado. Em 2020, o percentual foi de 47%.

O gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, explica que os três principais tipos de investimentos foram em: aquisição de novas máquinas e equipamentos, seguidos da desembolsos para a manutenção ou atualização de máquinas e equipamentos e, por fim, melhoria da planta, fábrica ou armazém.

“As empresas que não conseguiram realizar os investimentos afirmam como causas: os custos dos insumos, a incerteza do contexto econômico e queda nas receitas. Para este ano, é bem possível que a principal fonte de frustração também seja o elevado custo das matérias-primas”, explica Marcelo Azevedo.

Recursos próprios ainda é a principal fonte de financiamento

 

Os dados mostram que 74% das empresas consultadas pela CNI usaram recursos próprios como principal fonte de financiamento. Desde 2015 esse indicador está acima dos 70%. O financiamento de bancos oficiais de desenvolvimento representa 7% das fontes de financiamento. O auge de participação dos bancos de desenvolvimento ocorreu em 2011, quando representou 22% do total das fontes de financiamento do investimento realizado.

Destaca-se o financiamento por bancos comerciais privados, com 11%, que tem se mantido como a segunda principal fonte de financiamento desde 2018. Somadas, a oferta pública de ações, a construção de joint ventures ou parcerias e o uso de emissão de debêntures não alcançaram 1% das fontes de financiamento

 

75% das empresas pretendem investir em 2022

 

Os industriais estão mais cautelosos ao falar sobre investimentos em 2022. 75% das empresas declararam que pretendem investir. A última vez que esse indicador ficou abaixo dos 80% foi em 2017.

Entre os investimentos previstos, a produtividade continua a nortear os planos de investimento da indústria (a melhoria do processo produtivo segue como o principal objetivo do investimento planejado). Já a procura pelo aumento da capacidade produtiva perdeu importância no investimento, enquanto a intenção em investir em manutenção da capacidade produtiva aumentou consideravelmente.

Além disso, o mercado interno segue como o principal foco dos investimentos na indústria: 62% das empresas alegam que o foco dos investimentos é somente ou principalmente o mercado interno. Este percentual chegou a ser de 75%, em 2011 e 2013.

 

 

Foto da capa: Divulgação

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,