A serenidade na maturidade

Vulcão permeava nossas vidas. Erupções em demasia construíam nossos dias. Nosso mar já naquela época sofria conseqüência  do clima na adolescência. Meu mundo enlouquecido pelos tormentos interior navegava estupidamente em mar agitado.

Não tínhamos logísticas de nossos sonhos e por isto se colocava num lugar inatingível. Caminhava só com impulsão e fora do trilho. Não imaginava a chegada ao porto, apenas acreditava que agitações das ondas nos levariam onde o destino resolvesse desembocar.

Hoje somos escravos do planejamento. Erguemos nossos sonhos dentro da clareza solar. Os objetivos de adolescentes não foram abandonados, apenas amarrados firmemente na maturidade. Aumentamos até a distancia de nossos horizontes, porém repartimos as tarefas e dividindo os passos numa maratona possível.

Hoje tirarmos da garrafa o peso que afundava nossos sonhos. Ela a garrafa caminha suavemente sobre a mais intensa tempestade. Compreendemos que o mundo tem sua lógica, porém ela não é só racional, e que o sonho de uma convivência mais harmoniosa pode ser realidade. Derrubar barreiras que alicerça a evolução humana é tarefas daqueles que acredita que os habitat naturais dos sonhos coletivos possíveis são a realidade.

Serenidade na maturidade não que dizer alienação e sim uma maneira inteligente de sobreviver nas mais intensas ondas que o mar da vida fabrica.

Serenidade na maturidade é proteger nossos sonhos da dissipação, erguendo tapumes vitalícios capaz de nos levarmos a realidade com sabedoria.

Serenidade na maturidade é ainda entrar em alto mar, porém agora mais fortes do que as ondas gigantesca.

Serenidade na maturidade não é diminuir o potencial de nosso arco de adolescente, porém treinar bem mais e só ter certeza de lançar a fecha quando o alvo for possível de ser atingido. Acreditar mais na competência do que na sorte.

Serenidade na maturidade é acreditar que os sonhos não são cegos e são traçados pelos nossos instintos, porém captáveis pelos nossos sacrifícios.

Serenidade na maturidade é recomeçar novas bases de nossos novos sonhos, porém na certeza que o empreendimento deve ser desprendimento nosso para com a humanidade.

Serenidade na maturidade é erguer barreiras de concretos, protegendo aquele sonho de adolescência que impregnou em nossa caverna intima e de velho hoje, ainda tem a vitalidade de um medalhista de um atleta de olimpíadas.

Juarez Alvarenga

Juarez Alvarenga

Advogado e Escritor
Categorias