77 3441-7081 — [email protected]

A vingança

Deixe estar.

Deixe comigo.

Ela vai se ver quando tudo isso terminar.

O tempo passou e, um dia, no mais inusitado dos lugares, eles se reencontraram:

“Lembra-se de mim?”

– Infelizmente não me lembro, senhor. De onde nos conhecemos?

“Não acredito que você simplesmente pode me dizer que não nos conhecemos.”

A moça começou a ficar assustada com a insistência do desconhecido.

Sem saber o que fazer, ela pediu licença, passou por ele e foi para um ponto da loja onde não seria vista:

– Não faço ideia de onde aquele senhor me conhece.

Nessa hora, bem nessa hora, seu chefe entrou no estoque procurando por ela:

“Bianca, tem um senhor lá fora procurando por você.”

– Ele está me perguntando se o conheço. Acredito que nunca o vi, mas ele insiste em que o conheço. Estou com medo.

“Vamos lá esclarecer isso uma vez por todas. Eu vou com você.”

Eles saíram.

– Aqui está, senhor. Vamos esclarecer essa situação logo.

O senhor em questão olha a moça da cabeça aos pés e começa:

“Então seu nome é Bianca?”

– Sim senhor – disse a moça como se segura estivesse.

“Tem certeza de que nunca me viu?”

– Senhor, acredito perfeitamente que nunca nos encontramos.

Ele sorriu placidamente e começou:

“Você foi ao casamento do Glauco e da Sandra?

– O Glauco filho da dona Carmen e a Sandra filha do Sr. Amaro?

“Isso mesmo. É de lá que nos conhecemos.

– Ah! Assim, O senhor já estava me assustando.

“Desculpe-me, não foi minha intenção.”

O chefe, observava em silêncio o diálogo.

A moça mais calma olha atentamente para o senhor bem vestido á sua frente:

– Por acaso o senhor é o moço que derramei quatro litros inteiros de refrigerante no casamento?

“Sim, sou eu mesmo.”

A moça fica vermelha como se de cera fosse:

– Sempre quis me desculpar. Naquela noite, depois de derramar o refrigerante fiquei tão sem graça e com tanta vergonha, que fui embora na mesma hora. O senhor pode me perdoar?

O moço que passara o último ano procurando aquela bela distraída, responde:

– Claro que desculpo, desculpo sim.

Bia começou a sorrir aliviada.

Foi quando ouviu:

– Eu desculpo, mas vou precisar de um favor seu.

“Pode pedir, Senhor. Vou ficar muito feliz em saber que fui desculpada pelo senhor. Pode falar.”

O moço abriu um sorriso satisfeito e começou:

– Aquela era uma noite muito importante pra mim. Era o casamento da minha filha mais nova e eu estava muito feliz. Aí, de um minuto para o outro, me vi completamente encharcado no meio da festa. Absurdamente molhado e grudando. Afinal, você derramou, na minha cabeça, quase quatro litros de refrigerante.

A moça coitadinha, ao ouvir o relato foi se encolhendo, encolhendo, querendo sumir.

“O que posso fazer para ser desculpada?”

– O que eu vou pedir pode soar estranho, mas vai ser o único jeito de me fazer esquecer tudo que aconteceu naquela noite.

“Pode dizer. O que o senhor quer?”

Ele deu um suspiro, como quem está prestes a dizer o maior de todos os absurdos e começa:

– Meu objetivo era me vingar, ele disse sorrindo. Mas não se preocupe, eu não desejo o mal.

Eu só quero que você se arrume com aquele vestido vermelho que você estava no casamento.

Vista-se do jeitinho que estava aquela noite e vamos a um casamento no sábado comigo. Pode ser?

Ela, mesmo achando tudo muito estranho, rapidamente respondeu:

“Claro!”

E, no sábado, ela, toda bonita, arrumada e perfumosa, chegou ao lugar da festa.

Foi recebida pelo senhor, também muito bonito, que a colocou para dentro da festa.

Lá pelas tantas, quando ela nem se lembrava mais o que fora fazer ali, o moço a convidou para ir até um canto da pista de dança.

Ela foi.

Quando chegaram lá, ele falou:

– Lembra que você está aqui como parte de uma vingança?

A moça ficou pálida, mas manteve a pose:

“Claro!”

– Então, não corra. Com a sua licença.

Dizendo isso ele derramou diretamente na cabeça da moça 40 litros de refrigerante.

Ela tomou o banho de refrigerante, sem correr ou reclamar.

Quando a última gota caiu em seus cabelos ele veio correndo com uma toalha na mão:

– Bianca, ali tem um banheiro onde você pode tomar banho e trocar de roupa. Á porta tem um carro que poderá levar você para casa. Muito obrigada por deixar que eu lavasse minha alma.

A moça ensopada foi conduzida gentilmente até onde poderia tomar um banho e se trocar.

E o senhor vingativo agora estava livre para esquecer aquela história para sempre.

Vivi Antunes é ajuntadora de letrinhas e assim o faz às segundas, quartas e sextas no www.viviantunes.wordpress.com

Vivian Antunes

Vivian Antunes

Vivi Antunes é ajuntadora de letrinhas e assim o faz às segundas, quartas e sextas no www.viviantunes.com.br
Categorias