Adão e Eva

Deus criou Adão à sua imagem e semelhança para viver eternamente e foi colocado no jardim do Éden para o cultivar e o guardar, dando-lhe domínio sobre tudo existente na terra, e criou Eva, tirada de uma costela de Adão, deu-lhe como sua esposa, e disse sede fecundos e multiplicai-vos.

Porém, orientou:  não comerás o fruto da   árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia que comeres, certamente morrerás.  Eva (nome dado por Adão) enganada pela serpente (Satanás) comeu o fruto e deu também ao marido.  Ao comerem o fruto da árvore da vida, cometeram pecado, desobedeceram às determinações de Deus. Foram expulsos do jardim do Éden, passaram a viver do próprio trabalho.    O pecado da morte no mundo tem origem com o casal Adão e Eva. Por causa da rebeldia, todos somos pecadores. “Tu és pó e ao pó tornarás”, disse Deus para Adão.

Adão veio ao mundo através do sopro divino e passou a ser alma vivente O vocábulo alma significa o princípio espiritual da vida, é imortal e separada do corpo humano. A palavra, entretanto, tem o significado, geralmente de “substância incorpórea, imaterial, invisível, criada por Deus à sua semelhança, fonte e motor de todos os atos humanos”. É a parte imortal do homem em contraste ao corpo. Pode existir dentro ou fora de um corpo.

Alguns teólogos sustentam a opinião que o homem se compõe de duas partes: Deus formou o homem [Adão] do pó da terra (a parte material) depois soprou em suas narinas o fôlego da vida e o tornou alma vivente, é a parte espiritual, pertence a Deus.

 Outros teólogos defendem a opinião de que o homem é composto de Três elementos: Corpo, alma e espírito. Insistem em afirmar que Paulo fazia distinção entre os três elementos: corpo – a parte matéria; alma – a parte que o homem possui em comum com os brutos [brutalidade humana], que inclui o entendimento e a emoção e que terminam com a morte e o espírito – a parte do homem, que inclui a razão, a vontade e a consciência e que é imortal. Ambas as doutrinas são fundamentadas, se se reconhece que alma e espírito, estejam representados no corpo e no espírito.  Espírito e alma, por vezes, se confundem: o pó da terra de que foi feito o homem, é a vida, e, o espírito ou a alma, imortal e incorpórea é a parte divina do poder de Deus.

Revoltado com a maldade humana Deus promoveu o Dilúvio e encarregou a Noé essa tarefa, a ele confiada, que trabalhou incansavelmente na sua execução. Deus deixou claro que era inaceitável que o mal reinasse livre sobre a Sua obra. Apesar do Dilúvio o pecado continuou. Para a redenção da humanidade Deus formulou outros planos.  Aliança com Abraão, marido de Sara, conforme consta em Gênesis. Deus se comprometeu em recuperar o mundo arruinado pelo pecado e resgatar os pecadores por meio de Seu filho Jesus Cristo.

A vida e a morte são mistérios de Deus, a Ele cabe determinar o nascimento e a morte do indivíduo até que o destino se encarregue de ressuscitá-lo entre os mortos.

Jesus, o filho de Deus, declarou: “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá” (Jo 11.25).

Fontes de Pesquisas:

Bíblia Sagrada, Velho e Novo Testamento, traduzida para o português por João Ferreira Almeida. Barueri/SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2009.

Comentário Bíblico Velho e Novo Testamento – a palavra de Deus ao alcance de todos. Editores:  Earl D. Radmacher, Doutor em Teologia, Editor Geral; Ronald B. Allen, Doutor em Teologia editor do AT e H. Wayne House, Doutor em Teologia e Direito, Editor do NT;

Pequena Enciclopédia Bíblica de Orlando Boyer, 38ª impressão em 2018, CPAD – Casa Publicadora das Assembleias de Deus, Rio de Janeiro/RJ;

Enciclopédia Britânica Escola.

Postagem de:

Antonio Novais Torres

[email protected]

Brumado, em março de 2019.

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres é comerciante aposentado, membro fundador da Academia de Letras e Artes de Brumado, membro do Conselho da Cidadania de Brumado, ex-membro do PMDB e PTB e membro do Conselho Editorial do Jornal do Sudoeste.
Categorias