Adenocarcinoma de cólon: o diagnóstico precoce da doença pode resultar em um tratamento bem sucedido

A oncologista Alessandra Leite explica que o adenocarcinoma é um tipo de tumor que pode surgir em diversos órgãos, mas, principalmente, nos órgãos digestivos.

Por: Sophia Stein/Brasil 61

A cantora Preta Gil publicou em seu instagram, há poucos dias, que após seis dias de internação em um hospital no Rio de Janeiro, recebeu o diagnóstico de um adenocarcinoma na porção final do intestino. Desde então, as pesquisas para saber o que é esta doença dispararam.

A oncologista Alessandra Leite explica que o adenocarcinoma é um tipo de tumor maligno que nasce de uma glândula específica presente no revestimento de alguns órgãos, principalmente nos órgãos digestivos, mas também pode ser encontrado nos pulmões, útero, mamas e na próstata.

Alessandra diz que os sintomas da enfermidade variam de acordo com a localização do tumor e cita o diagnóstico da cantora para exemplificar os sintomas.

“Por exemplo, o caso mais recente que estamos vendo na mídia é o da Preta Gil, que é um adenocarcinoma de cólon. Nestes casos, o paciente pode apresentar desconforto abdominal, mudanças no hábito intestinal, ou seja, evacuava todos os dias normalmente e passa a ter diarreia ou intestino muito preso. Pode apresentar algum tipo de sangramento junto às fezes e perda de peso. Então, depende do local onde o adenocarcinoma se origina”, explica.

A especialista conta que, caso o adenocarcinoma seja encontrado na região do pulmão, os sintomas são totalmente diferentes. Então, o enfermo apresentaria sintomas como tosse, falta de ar e cansaço.

É importante ressaltar que, como em todos os tumores, os sintomas, às vezes, são muito discretos e quando está em estágio inicial, o paciente pode não apresentar sintomas.

Tratamento

O tratamento do adenocarcinoma depende de onde o tumor nasceu. Geralmente, para tumores pequenos ou medianos localizados no cólon, primeiro é realizada uma cirurgia e depois, dependendo da extensão da doença, do tamanho do tumor e se tinha ou não linfonodos comprometidos, pode-se fazer uma complementação com um período de quimioterapia de reforço. Após esse tratamento, o paciente passa por um período de controle que tem a duração aproximada de cinco anos.

Os adenocarcinomas localizados em qualquer órgão têm a possibilidade de serem totalmente curados, desde que diagnosticados em estágios iniciais, para que possa haver um tratamento completo e bem sucedido.

Causas

De acordo com a oncologista, assim como o tratamento, a causa dos adenocarcinomas também depende do órgão. “Os adenocarcinomas de cólon são causados por alguns fatores. O primeiro e mais importante diz respeito ao caso de pacientes que têm o funcionamento intestinal pior, então o intestino preso é um dos grandes fatores de risco para o desenvolvimento com o envelhecimento do adenocarcinoma de cólon, mas claro que o envelhecimento está também associado como todos os tipos de câncer, consumo excessivo de carne, consumo excessivo de bebida alcoólica, tabagismo, dentre outros fatores”, completa.
Alessandra acentua que o consumo excessivo e diário de carne vermelha dificulta o processo digestivo, o que se torna um fator de risco indireto. Mas não quer dizer que as pessoas não possam comer carne vermelha, apenas procurar, sempre que possível, moderar na quantidade e variar a proteína, como por exemplo optar por carnes brancas.

Precauções

Existem formas para se evitar o surgimento do tumor, que são:

  • Não ingerir bebidas alcóolicas em excesso;
  • Não fumar;
  • Ter dietas equilibradas;
  • Evitar o consumo excessivo de carne vermelha.

Realizar a colonoscopia com certa frequência a partir da data estipulada pelo médico e conhecer o histórico familiar para saber se existe algum caso dentro da família são requisitos importantes para o diagnóstico precoce de um possível tumor.

Foto de capa: Freepik

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,