Agências dos EUA e União Europeia certificam versão hospitalar de jato.

Avião vendido pela Embraer pode transportar até duas macas.

Por: Alex Rodrigues/ Repórter da Agência Brasil.

As agências de transporte responsáveis por regular o setor da aviação civil nos Estados Unidos e em toda a União Europeia atestaram a segurança operacional da versão aeromédica do jato leve mais vendido pela companhia brasileira Embraer.

Segundo a fabricante, a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) e a Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) emitiram o certificado de segurança do Phenom 300MED – modelo da série Phenom 300 – ao qual foram adaptados os equipamentos hospitalares de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O Certificado de Tipo Suplementar (do inglês, STC) é um dos documentos necessários para que um modelo de aeronave possa ser utilizado, tendo atendido  normas de segurança e aeronavegabilidade.

Pacientes a bordo

De acordo com a Embraer, um dos testes a que o modelo foi submetido consistia em comprovar que, em caso de necessidade, dois pacientes totalmente incapacitados poderiam ser rapidamente retirados da aeronave, em segurança, conforme os pré-requisitos estabelecidos pelas autoridades norte-americanas e europeias. Ainda segundo a fabricante, por se tratar de um jato leve, o Phenom 300MED tem baixos custo operacional e uma boa autonomia.

Solução médica

“É uma satisfação anunciarmos a certificação do Phenom 300MED pela FAA e EASA”, anunciou, em nota, a vice-presidente Global de Suporte ao Cliente da Aviação Executiva e Pós-Venda da Embraer Serviços & Suporte, Marsha Woelber. “A versão aeromédica [do Phenom 300] agrega valor a um produto líder de mercado, combinando seus recursos exclusivos com uma solução médica abrangente”, acrescentou Marsha.

Projetado para ser convertido de um jato executivo em uma UTI móvel em menos de cinco horas, o Phenom 300MED pode operar com uma ou duas macas e é capaz de transportar uma incubadora e equipamentos médicos adicionais.

O certificado suplementar foi implementado pelo Centro de Serviços da Embraer em Fort Lauderdale, na Flórida, nos Estados Unidos. A aeronave será operada pela Grandview Aviation, empresa de fretamento de voo.

Foto de Capa: 19/01/2023 REUTERS Direitos reservados.

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,