Agricultura de precisão vai colocar o Brasil em outro patamar tecnológico, diz especialista

Política Nacional de Incentivo à Agricultura e Pecuária de Precisão estabelece diretrizes para redução do desperdício e otimização de recursos, que aproximam Brasil da agricultura do futuro, segundo o pesquisador da Embrapa Ricardo Inamasu

 

Por: Fernando Alves/Brasil 61

 

O agronegócio deve responder por cerca de 25% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2022, segundo estimativas da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Até novembro, as exportações brasileiras somaram US$148,26 bilhões. Para aprimorar a produtividade do setor, a Política Nacional de Incentivo à Agricultura e Pecuária de Precisão estabelece diretrizes para redução do desperdício e otimização de recursos.

“A agricultura de precisão pode ser entendida como uma habilitadora da agricultura do futuro. Envolve uma automação criativa e bem estruturada com forte atuação dos setores das indústrias de máquinas também de tecnologia da informação. A política vai ajudar o Brasil a elevar a régua da agricultura brasileira para um outro patamar tecnológico que provavelmente o mundo ainda não conhece”, pontua o pesquisador da Embrapa Ricardo Inamasu.

Além disso, a lei é importante para o fornecimento de dados e informações objetivas  para realizar processos com mais responsabilidade ambiental, segundo o pesquisador. A agricultura e pecuária de precisão são baseadas em dados digitais coletados por sensores, máquinas, drones, satélites e dispositivos que viabilizam uma atuação mais assertiva dos produtores.

A diretora-executiva da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF), Loiselene Trindade, afirma que a política traz sustentabilidade, competitividade e agrega valor ao agronegócio brasileiro. Ela explica que a agricultura e a pecuária de precisão estão ligadas ao aprimoramento da produtividade.

“A agricultura de precisão, pela exatidão dos seus processos produtivos, faz com que você tenha uma resposta mais positiva na redução de desperdícios, na mitigação dos efeitos ambientais e isso é muito importante para o Brasil e para o produtor rural, afinal de contas, o produtor rural depende da sua área ambiental, depende dessa conservação de solo e água”, destaca.

Política Nacional de Agricultura e Pecuária de Precisão

O Congresso Nacional aprovou a Política Nacional de Incentivo à Agricultura e Pecuária de Precisão neste mês de dezembro e o projeto foi sancionado pelo presidente da República como a lei 14.475/2022. Para o deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS), a nova lei representa um avanço na modernização da agricultura brasileira por meio da utilização da tecnologia. O parlamentar é autor de uma das propostas que tramitaram em conjunto com o PL 149/2019, texto que deu origem à lei 14.475.

“É uma medida altamente inclusiva, que vai ajudar no compartilhamento de inovação para produção agropecuária e de promoção da internet no campo, bem como o uso do fundo de universalização das telecomunicações. Isso vai modernizar ainda mais nossa agricultura, seja dentro ou fora da porteira ou no desenvolvimento de novas tecnologias”, afirma.

A agricultura e pecuária de precisão utilizam tecnologias a fim de potencializar a eficiência na produção e a otimização de recursos. As ferramentas contribuem por meio da coleta e análise precisas de informações para facilitar a tomada de decisão dos produtores e trabalhadores rurais. Alceu Moreira destaca a importância da lei, já em vigor, e lembra que o Brasil precisa continuar a investir em tecnologia.

“Mais um passo importante do Brasil, que se consolida cada vez mais no celeiro e na produção de alimentos, buscando vencer os desafios para alimentar o mundo. Para que isso aconteça, com certeza teremos que ter maiores investimentos, quanto mais rápido possível de conectividade. Estar com os equipamentos à disposição, em todos os cantos do Brasil, significa colocar o mundo tecnológico à disposição da produção cada vez maior, mais qualificada, mais eficiente e mais autossustentável”, argumenta o parlamentar.

A Política Nacional estabelece aos órgãos competentes a obrigatoriedade de estimular investimentos que promovam a adoção da agricultura e pecuária de precisão. Busca ainda criar e estimular a conectividade rural, fomentar a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias,  criar instrumentos de financiamento de equipamentos, dentre outras.

Diretrizes da Política Nacional de Incentivo à Agricultura e Pecuária de Precisão:

  • apoio à inovação, que contemple todas as escalas de produção;
  • sustentabilidade ambiental, social e econômica;
  • desenvolvimento tecnológico e sua difusão;
  • ampliação de rede de pesquisa, desenvolvimento e inovação do setor agropecuário;
  • estímulo à ampliação da rede e da infraestrutura de conexão de internet nas áreas rurais do País;
  • articulação e colaboração entre os entes públicos federais, estaduais e municipais e o setor privado;
  • divulgação das linhas de crédito disponíveis para financiamento da agricultura e pecuária de precisão.

 

 

Foto de capa: Wenderson Araujo/CNA

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,