Ansiedade de Final de Ano: Entenda por que algumas pessoas ficam angustiadas nesta época

A psiquiatra Dra Lívia Castelo Branco, da Holiste Psiquiatria, explica que a pandemia deve potencializar a sensação de angústia neste fim de ano

Por: Adriana Fernandes 

Muitas pessoas aproveitam o mês de dezembro para traçar metas para o próximo ano, descansar e celebrar com a família. Contudo, para algumas pessoas esta época é marcada por uma angústia sem motivo aparente e problemas de saúde mental. A psiquiatra Dra Lívia Castelo Branco, da Holiste Psiquiatria, conta que a ansiedade de fim de ano é ocasionada principalmente pela frustração por atividades que não foram executadas e pela insegurança em relação ao futuro.

“Com a pandemia, apesar de já termos muitas flexibilizações, ainda sofremos muitas restrições sociais e impactos econômicos deste período tão atípico. Por este motivo, a preocupação frequentemente observada nas pessoas neste período do ano está superdimensionada em 2021, gerando dificuldade na tomada de decisões, conflitos de relacionamento, aumento do consumo de substâncias e até mesmo transtornos de ansiedade”, explica a psiquiatra.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o país mais ansioso das Américas: cerca de 9,3% da população brasileira enfrenta problemas de ansiedade. O transtorno é caracterizado pela sensação de medo, preocupações frequentes, dificuldade de concentração, insônia e sintomas físicos, tais como palpitações, inquietação, tremores e falta de ar. Os sintomas causam prejuízo nas relações sociais, rendimento no trabalho e qualidade de vida, demandando apoio profissional para a melhora do quadro.

“A ansiedade é uma resposta natural do organismo que surge como reação emocional a um perigo potencial, descrita como uma apreensão negativa em relação ao futuro. Ela se torna um problema de saúde mental quando o nervosismo é desproporcional ao estímulo, vem em grande intensidade ou frequência, ou por tempo prolongado, interferindo na vida do indivíduo”, detalha.

De acordo com a psiquiatra, atividades de lazer, tais como reunir os amigos ou assistir um filme, podem ser uma estratégia importante, mas nem sempre suficiente para o alívio da ansiedade. Para colaborar, a profissional indica a organização de uma rotina diária com realização de exercícios físicos, práticas como yoga ou meditação, e a busca de suporte emocional. O acompanhamento psicológico se torna fundamental nos casos em que estas medidas não surtiram efeito e quando há persistência dos sintomas, é necessário integrar também o uso de medicações sob orientação de um psiquiatra.

Quando o assunto é saúde mental, a informação é o primeiro passo do tratamento. Para saber mais sobre o tema, acesse: https://holiste.com.br/

Sobre a Holiste 

Holiste é uma clínica de excelência em saúde mental, criada há 20 anos pelo médico psiquiatra, Dr. Luiz Fernando Pedroso, sediada em Salvador, Bahia, com atendimento nacional. Na sede principal, localizada em Salvador, funcionam os serviços ambulatorial e de internamento psiquiátrico. A estrutura da clínica conta, ainda, com o Hospital Dia (destinado à ressocialização do paciente) e com a Residência Terapêutica (moradia assistida para pacientes crônicos), dispondo sempre de estrutura e tecnologia de ponta. 

A instituição conta com mais de 200 profissionais, um corpo clínico composto por médicos psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, nutricionista, gastrônoma, dentre outros, com vasta experiência em tratamento de transtornos relativos à saúde mental. Para conhecer mais sobre os serviços da Holiste, acesse o site www.holiste.com.br.

 

 

 

Foto de Capa: @drawlab19

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,