Autoridades e visitantes estrangeiros prestigiam a casa do Brasil na COP 27

Nesta terça-feira (8.11), tem início a programação dos painéis no estande do Brasil. Mercado Global de Carbono, o Futuro Verde na Mobilidade Urbana, Mercado de Capitais e Ativos Ambientais e o Projeto Escola +Verdes serão temas debatidos

Por: Secom

Os primeiros dias de funcionamento do estande do Brasil na 27ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, a COP 27, realizada em Sharm El-Sheik, no Egito, foram marcados por uma intensa movimentação de representantes do Governo Federal e das entidades parceiras do país no encontro. Além disso, a estrutura recebeu visitantes de diversas delegações estrangeiras.

Participantes das delegações dos Estados Unidos, México, Egito, Suécia, Coreia do Sul, Colômbia, Alemanha, Escócia e Omã já passaram pelo estande do Brasil para conhecer a estrutura montada no Pavilhão das Delegações 5 no Sharm El-Sheikh International Convention Center (SHICC), palco da COP 27.

Secretário Nacional da Amazônia, Marcelo Nonnini Freire recebe um dos visitantes do estande do Brasil na COP 27. Foto: Ruben Naftali/Secom

Nesta terça-feira (8.11), têm início os trabalhos apresentados pelo Brasil. A programação será aberta com a realização de quatro painéis: Integração do Mercado Global de Carbono, o Futuro Verde na Mobilidade Urbana, Mercado de Capitais e Ativos Ambientais, e o Projeto Escola +Verdes. Durante todos os dias do evento, o Brasil apresentará diversos painéis, presenciais e virtuais, com especialistas e autoridades. 

“A gente fez questão de trazer e destacar esse potencial para que o mundo entenda o que o Brasil representa em termos de energia verde, limpa, renovável, e o quanto tem de excedente de geração de energia para poder, inclusive, exportar para o resto do mundo por meio de hidrogênio verde”, explica o secretário Nacional da Amazônia do Ministério do Meio Ambiente, Marcelo Donnini Freire.

Amazônia

Um dos temas de maior apelo para o público internacional é a Amazônia. Neste sentido, o estande usa a tecnologia para aproximar os visitantes da floresta. Quem visita a casa do Brasil na COP 27 sente-se transportado para uma viagem à Amazônia com o auxílio dos óculos de realidade virtual, disponibilizados com áudio em português e inglês.

A norte-americana Angelea Hayes foi uma das visitantes que experimentou o tour e se disse maravilhada com a experiência. “Eu achei muito bacana. Eu já tinha usado a realidade virtual antes, mas nunca tinha usado para ver um ambiente natural como a floresta. Acho que é um vídeo único e foi muito bom poder ouvir as histórias das pessoas que vivem na Amazônia. Eu realmente gostei muito da parte em que estamos no barco com a pessoa que o está conduzindo. Também achei fantástica a parte em que somos levados acima da floresta”, afirma.

O estande do Brasil conta ainda com o espaço interativo Green Energy, uma área imersiva repleta de telões de led de última geração, onde será possível experimentar sensações ligadas às fontes de energia limpa amplamente utilizadas no Brasil – vento (eólica), calor (solar) – além do barulho do mar, para representar a eólica offshore, aquela gerada pelo vento que sopra em alto mar e que se configura em um campo de imenso potencial de geração de energia limpa para o país nos próximos anos.

Pautas principais

O exemplo brasileiro na geração de energia é um dos principais temas que a delegação nacional apresentará durante a COP 27 no Egito. O Brasil já se destaca por possuir uma das matrizes mais limpas do mundo e atualmente sua matriz elétrica atinge 85% de fontes renováveis, contra uma média de 28% do restante do planeta. Em Sharm El-Sheik, o país vai além e apresentará ao mundo sua vocação para a instalação de eólicas offshore, cujo potencial de geração de energia chega a 700 gigawatts, o que equivale a 50 usinas Itaipu Binacional.

A força do país no campo da agricultura sustentável é outro ponto de destaque na COP 27. Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil deverá bater mais um recorde na produção de grãos, com expectativa de atingir 312,4 milhões de toneladas na safra de grãos 2022/2023.

O trabalho de tecnologia reversa é mais uma frente apresentada no evento. O Brasil é o recordista mundial na reciclagem de latas de alumínio e se destaca também no trabalho desenvolvido com eletroeletrônicos, defensivos agrícolas, baterias de chumbo, óleo lubrificante e medicamentos, entre outros.

O estande do Brasil na COP 27 tem o apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE).

 

 

Foto de capa: Ruben Naftali/Secom

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,