Baixio do Irecê começa a colher frutos, com mais emprego e desenvolvimento regional

Planejamento inicial prevê implantação de fruticultura, com destaque para banana e limão nos lotes de pequenos agricultores, e de grãos na área empresarial

Por: Agência Brasil 61 

Localizado na região do Médio São Francisco, nos municípios de Itaguaçu da Bahia e Xique-Xique, na Bahia, o Projeto de Irrigação do Baixio de Irecê começa a apresentar resultados. As áreas que compõem as Etapas 1 e 2 estão iniciando o processo produtivo, tanto para o consumo regional quanto para o mercado nacional, gerando renda e possibilitando o desenvolvimento da região. O projeto, que usa águas do Rio São Francisco, tem o maior número de hectares irrigáveis da América Latina – cerca de 48 mil.

As etapas 1 e 2 ocupam 16,5 mil hectares. Os lotes com áreas irrigáveis foram concedidos, por meio de edital, a 132 pequenos agricultores e a 17 empresas. Para que isso fosse possível, foram investidos pelo Governo Federal cerca de R$ 1 bilhão em obras de infraestrutura e de uso comum. O planejamento agrícola para início do processo produtivo prevê a implantação de fruticultura, com ênfase para o plantio de banana e limão nos lotes de pequenos agricultores, e de grãos na área empresarial, sendo o milho para a primeira safra.

A previsão é que os irrigantes invistam em seus lotes cerca de R$ 330 milhões em até quatro anos. Ao fim desse período, as duas etapas devem estar em plena produção, gerando cerca de 50 mil empregos diretos e um faturamento bruto de R$ 500 milhões por ano. Com isso, a expectativa é duplicar o Produto Interno Bruto (PIB) e melhorar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das duas cidades que sediam o polo.

Agricultores que atuam no Baixio do Irecê comemoram o acesso à área irrigada. “Vamos começar o primeiro plantio com milho. Aí na sequência vem o feijão e, posteriormente, a soja. Serão três safras por ano”, conta Célio Vilani.

Já para o agricultor familiar Pascoal Lima, o projeto é uma oportunidade para garantir o sustento da família. “Vai servir para os meus filhos, para meus netos, para outras pessoas”, comenta.

Coordenador do projeto pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), empresa pública vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Sérgio Coelho destaca a importância de um projeto como o do Baixio do Irecê.

“Nós vamos criar mais de 150 mil empregos nos próximos 10 anos. É muito rápida a irrigação e com um custo relativamente barato em relação a outro tipo de indústria. Então, o projeto significa uma redenção para a região”, afirma Coelho.

Próximas etapas

As etapas da 3 a 9 ocuparão 31,5 mil hectares irrigáveis e receberão investimento de R$ 1,2 bilhão da iniciativa privada. Estima-se que, nos próximos nove anos, devam estar funcionando a todo o vapor. Nessas condições, há a expectativa de que sejam gerados 110 mil empregos diretos e indiretos.

Foto de Capa: Divulgação/MDR

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,