Bancários se unem em Dia Nacional de Luta em Defesa da Caixa em Vitória da Conquista

Bancários de todo o Brasil se unem no Dia Nacional de Luta em Defesa da Caixa nesta quarta-feira (18). O ato, convocado pelas Centrais Sindicais, Fenae, APCEF, Federações e Contraf, busca conscientizar brasileiros e brasileiras quanto às ameaças de privatização do governo Temer e os riscos da abertura do capital financeiro da Caixa, único banco 100% público do país. Em Vitória da Conquista, o Sindicato dos Bancários de Vitória da Conquista e Região realizará, junto com a categoria, uma mobilização, alertando e dialogando com a sociedade, na Praça Barão do Rio Branco, às 09h.

 

Desde 2014, quando a presidente, na época, Dilma Rousseff, anunciou a pretensão de fatiar e entregar setores da Caixa para a iniciativa privada, e, agora, com o recente anúncio do governo Temer do pacote de privatizações de 57 entidades, como a Casa da Moeda, Eletrobras e o Aeroporto de Congonhas, aumentando o risco de os bancos públicos do país se tornarem alvos de projetos que querem entregar o patrimônio dos brasileiros ao empresariado, os trabalhadores bancários estão intensificando as mobilizações e o diálogo para conscientização da sociedade sobre os prejuízos socioeconômicos destas medidas.

 

A Caixa é o banco que, entre outras coisas, protege o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), o Seguro Desemprego e o Fundo do PIS/PASEP, gere programas sociais, como o Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Pro-Jovem e Fundo de Financiamento Estudantil (FIES). Além de representar riscos a programas sociais, como financiamentos estudantis e de habitação, saneamento e infraestrutura urbana, a venda da Caixa trará prejuízos especialmente a população de baixa renda, desprezada pelos bancos privados movidos apenas pela busca de lucratividade.

 

Privatizar a Caixa é retrocesso:

  • traz prejuízos a toda sociedade, especialmente a população de baixa renda, desprezada pelos bancos privados que buscam apenas lucratividade e oferecem financiamento com altas taxas de juros;
  •  representa risco a programas sociais, como financiamentos estudantis e de habitação, saneamento e infraestrutura urbana, já que o banco público que financia projetos voltados para o desenvolvimento social no país;

 

  •  fatiar e entregar setores do banco para a iniciativa privada é abrir mão do patrimônio dos brasileiros e atender somente aos interesses do capital.

 

Fortalecer a Caixa é preciso para:

  • contratação de mais bancários para melhor atender a população;
  •  ampliação dos serviços sociais;

 

  •  redução das taxas de juros cobrada e aumento das linhas de crédito.

 

Não podemos aceitar a venda da Caixa! A Caixa é pública e, se é pública, é para todos! #DefendaACaixaVoceTambem

Redacão Jornal do Sudoeste

Redacão Jornal do Sudoeste

Desde seu lançamento, o JS vem revolucionando a imprensa regional. Foi e continua sendo pioneiro na adoção de cores em todas as suas páginas e no lançamento de suplementos especiais que extrapolam o simples apelo comercial, envolvendo a comunidade em reflexões sobre temas de interesse geral por ocasião do Natal e dos aniversários de emancipação de municípios da sua área de abrangência de circulação.
Categorias