Brasil em chamas

As imagens de satélites e emissoras de televisão mostram fumaça e fogo em todo Brasil. Não sei se existe no país algum bioma que não esteja em estado de coma.
Para as autoridades ligadas aos órgãos de defesa do Meio Ambiente como o Ministério correlato e o Conselho da Amazônia, a fumaça que emerge das florestas deve ser simplesmente índios fumando o cachimbo da paz.
Sacrificando as florestas que ainda existem pensando em expandir áreas agro-pastoris, há muito tempo vem provocando a diminuição dos índices pluviométricos no Centro-Sul e Nordeste do Brasil e sacrificando outras áreas produtivas que existem há séculos.
Qualquer adolescente do 2º Grau sabe que quanto mais se destrói a vegetação menos umidade teremos na atmosfera e consequentemente menos chuvas teremos.
No Meio Ambiente, o titular que deveria ser um Ministro, na prática tem se revelado um verdadeiro Sinistro. Em qualquer país sério o Sr. Ricardo Salles seria condenado a devolver com juros e correções monetárias tudo que recebeu dos cofres públicos por somente ter feito “gol contra” nos atos de sua desastrosa administração.
Sabemos que o Sr. Presidente da República, responsável direto pela nomeação do Sr. Ricardo Salles, não é simpatizante do conhecimento científico. Até no campo da política ideológica está com mais de meio século de atraso, vivendo ainda na época da “Guerra Fria” com Nikita Kruschev, Mao Tsé-Tung, Kennedy e outros. Não consegue enxergar capitalistas e “comunistas” (se ainda existem) convivendo e negociando de acordo com as mesmas regras de mercado.
É inconcebível não comprar produtos da China para quem vendemos mais de 53 bilhões de dólares e beneficiar americanos que nos compram apenas 15 bilhões e ainda taxa o alumínio que vendemos em 145%.
O Chefe de Estado brasileiro deveria se impor como Presidente da República Federativa do Brasil e não como um simples ordenança de Donald Trump.

Frederico Xavier Rêgo

Frederico Xavier Rêgo, jussiapense radicado em Brumado, educador aposentado, ex-vice-prefeito de Jussiape

Categorias