Brasil registra 1315 tentivas de fraude de identidade a cada um milhão de habitante em Novembro, revela estudo da Serasa Experian.

Nove Estados, incluindo o Distrito Federal, estão com resultados acima da média nacional. Veja dicas dos especialistas para se proteger.

 

Por: Victória Bernardes & Viviane Garcia/ Equipe de Relações com a Imprensa.

Segundo estudo da Serasa Experian, os brasileiros sofreram 283.051 tentativas de fraude de identidade em novembro de 2022, o que representa 1.315 tentativas a cada um milhão de habitantes. No ranking estadual, o Distrito Federal apareceu em primeiro lugar, com 2.175 tentativas a cada um milhão de habitantes. São Paulo, que foi o Estado com o maior número de tentativas em novembro (87.117), apareceu em 2º lugar, com 1.849 tentativas a cada um milhão de habitantes. Além do Distrito Federal e São Paulo, outros sete Estados estão com resultados acima da média nacional. Veja na tabela abaixo as informações completas:

 

Mais de 3,6 milhões de tentativas de fraude no Brasil 

No acumulado de janeiro a novembro do ano passado, o Brasil já sofreu com mais de 3,6 milhões de tentativas de fraude de identidade, o que representa uma a cada 8 segundos. “É um cenário expressivo, por isso, é fundamental que o consumidor tenha muita atenção com seus dados pessoais e as empresas devem investir em soluções de autenticação e prevenção à fraude, além de conscientizar seus clientes divulgando informações e orientações seguras”, diz o gerente executivo de Autenticação e Prevenção à Fraude da Serasa Experian, Rafael Garcia.

Ainda na visão do acumulado do ano até novembro, as tentativas de fraudes relacionadas com o segmento de Bancos e Cartões lidera com 2 milhões. Em segundo lugar, estão as Financeiras, com 633 mil tentativas, seguido pelo setor de Serviços, com 589 mil. Varejo aparece em quarto lugar, com 288 mil pessoas que foram alvo e Telefonia em último lugar, com 86 mil.

Na visão por idade, a população com idade entre 36 e 50 anos foi a que mais sofreu, com 1,3 milhão. Em segundo lugar, estão os consumidores de 26 a 35 anos, que sofreram com 998 mil tentativas. Depois aparecem: 51 a 60 anos (509 mil tentativas); até 25 anos (414 mil tentativas) e acima de 60 anos (397 mil tentativas).

Veja dicas dos especialistas da Serasa Experian para consumidores e empresas evitarem ser vítimas de golpistas: 

Consumidores:   

  • Inclua suas informações pessoais e dados de cartão se tiver certeza de que se trata de um ambiente seguro;
  • Desconfie de ofertas com preços muito abaixo do mercado. Nesses momentos, é comum que os cibercriminosos usem nomes de lojas conhecidas para tentar invadir o seu computador. Eles se valem de e-mails, SMS e réplicas de sites para tentar pegar informações e dados de cartão de crédito, senhas e informações pessoais do comprador;
  • Atenção com links e arquivos compartilhados em grupos de mensagens de redes sociais. Eles podem ser maliciosos e direcionar para páginas não seguras, que contaminem os dispositivos com vírus para funcionarem sem que o usuário perceba;
  • Cadastre suas chaves Pix apenas nos canais oficiais dos bancos, como aplicativo bancário, Internet Banking ou agências;
  • Não forneça senhas ou códigos de acesso fora do site do banco ou do aplicativo;
  • Não faça transferências para amigos ou parentes sem confirmar por ligação ou pessoalmente que realmente se trata da pessoa em questão, pois o contato da pessoa pode ter sido clonado ou falsificado;
  • Monitore o seu CPF com frequência para garantir que não foi vítima de qualquer fraude do Pix.

Empresas:   

  • Com a aceleração da adoção de canais digitais na vida dos consumidores, as empresas estão cada vez mais investindo em novos métodos de detecção de fraudes e tecnologias cada vez mais sofisticadas ao longo da jornada do cliente, para que a segurança da operação não afete sua experiência integrada. A Serasa Experian, por exemplo, tem soluções modulares inteligentes e um time de especialistas em autenticação e prevenção à fraude que possibilitam oferecer uma experiência segura e sem atrito ao cliente final. Com combinação de dados, analytics e soluções automatizadas, as empresas podem expandir os negócios com segurança.
  • Conte com plataformas de pagamento online. A empresa que deseja atuar de forma online, prestando serviços ou vendendo produtos, precisa ter a máxima atenção com os pagamentos. É preciso adotar uma sistemática que alie rapidez no processamento das transações à segurança;
  • Faça a análise de compras mais caras. Outra prática que pode reduzir bastante o risco de fraude online é a análise das compras. Sempre que a empresa se deparar com um pedido de alto valor, por exemplo, é necessário dedicar uma atenção especial, verificando de forma mais detalhada o cliente e os dados informados. Uma forma de garantir a segurança desse tipo de transação é realizando um contato prévio por e-mail ou telefone para confirmar dados ou a própria compra. Embora esse tipo de avaliação possa tornar o processo de venda mais longo, ele é essencial para resguardar o seu negócio contra fraudes;
  • Verifique cadastros. Contar com uma base de dados do cliente é essencial para reforçar a segurança de operações online. Nesse quesito, ter acesso a um cadastro atualizado dos consumidores, no qual é possível checar a veracidade das informações fornecidas no momento de uma compra, por exemplo, é outra estratégia para reduzir os riscos na hora de vender. A confirmação cadastral pode facilmente identificar tentativas de fraudes, sinalizando situações suspeitas, como divergências de dados do cliente com as que constam de outras bases de dados confiáveis;
  • Consulte o perfil do seu cliente. Conhecer o cliente é, sem dúvida, uma das maneiras mais eficientes de se evitar fraudes online. Quando a empresa é capaz de avaliar o histórico do consumidor no mercado, status do seu CPF ou CNPJ, os seus hábitos e a existência de pendências em seu nome, por exemplo. Fica muito mais fácil e seguro avaliar os riscos de uma operação.

Para conferir mais informações e a série histórica do indicador, clique aqui.

Foto de Capa: Divulgação.

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,