Camaçari: Projeto Territórios da Agricultura promove mobilização e investigação para a realização de ações sustentáveis na região

Iniciativa desenvolvida pela Evoluir, com patrocínio da Bayer, começou em julho e já está na etapa de diagnóstico das demandas do município, visando a implementação das melhores práticas para produção local de alimentos e organização comunitária.

Por: Priscila Gomes/Fibra Comunicação

Uma mobilização coletiva, que reúne o propósito do desenvolvimento sustentável ao trabalho integrado dos vários agentes da comunidade, já está em andamento em Camaçari (BA). É o projeto Territórios da Agricultura, iniciado em julho pela Evoluir, com o patrocínio da Bayer, e que já está na etapa de diagnóstico participativo das principais demandas do município e de mapeamento das iniciativas de Agricultura Urbana e Periurbana, com auxílio de uma plataforma virtual. As informações coletadas ajudarão na co-criação de soluções para estimular a produção local de alimentos e a geração de renda.

Viabilizado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, o Territórios da Agricultura abrange parceiros estratégicos para colocar em prática as iniciativas de produção em Camaçari. Cerca de 40 participantes, entre integrantes de organizações sociais da região e agricultores, estão envolvidos na jornada de realização do projeto, composta por cinco módulos formativos.

“No Módulo 1, tivemos a formação e a consolidação do grupo participante, com muitos atores da comunidade envolvidos e o resgate das histórias de cada pessoa vinculada ao tema do projeto, abrindo espaço para compartilhar conhecimentos”, destaca Mariana Monferdini, coordenadora do projeto na Evoluir. “Mesmo o local de realização das atividades, no Horto da cidade, tem trazido elementos agregadores, como aulas sobre compostagem e reciclagem”, diz.

A coordenadora explica que no Módulo 2, que está em andamento, a tarefa é desenhar um diagnóstico participativo a respeito dos principais problemas do município, com um trabalho intermódulos em pequenos grupos, para adicionar ao mapeamento das iniciativas de Agricultura Urbana e Periurbana existentes. “Na sequência, no Módulo 3, criaremos os critérios para a escolha da intervenção territorial e coletaremos as ideias de ações para serem implementadas no Módulo 4, que inclui co-criação e escolha das melhores soluções. Encerrando o ciclo formativo, no Módulo 5 será realizado um fechamento, com a avaliação e a celebração do processo; neste momento os participantes poderão auxiliar na concepção da exposição audiovisual que acontecerá a partir de outubro e será aberta ao público para apresentar os resultados e aprendizados do projeto, ampliando seu potencial efeito multiplicador”, conclui Mariana, que também ressalta a importância da colaboração da Prefeitura Municipal de Camaçari, pela cessão do espaço no horto e o auxílio com a alimentação para os participantes.

Jaime Oliveira, Diretor de Assuntos Governamentais e Sustentabilidade da Bayer Brasil, complementa que o Territórios da Agricultura também busca contribuir para o desenvolvimento econômico, social e ambiental de comunidades locais. “O projeto está diretamente conectado com o propósito de colaboração da companhia. Acreditamos que o melhor caminho para resolver os grandes desafios da nossa sociedade é feito a partir da co-criação. Afinal, se cada um cuidar do seu entorno, fizer sua parte e se unir em prol do meio ambiente, podemos efetivamente melhorar o planeta e contribuir para o desenvolvimento cada vez mais sustentável”, afirma Jaime.

Sobre o Territórios da Agricultura

O Territórios da Agricultura é um projeto de educação e inovação social voltada à agricultura urbana, periurbana e rural, baseada na participação coletiva e na co-criação de ações que contribuam para o desenvolvimento sistêmico da agricultura e da cultura em determinado território. Prevê a realização de uma jornada que integra os diferentes atores locais, visando a investigação extensiva do ecossistema e a co-criação de soluções que possam fortalecer as práticas de produção de alimentos no território. Sua metodologia é inspirada na Teoria U, de Otto Scharmer, e preza por processos participativos, destacando a condução coletiva de inovação e mudanças sociais profundas.

Ao longo de 40 horas de formação em cinco módulos, os participantes trabalham capacidades como autogestão, atuação em equipe, liderança, conhecimentos sobre os agrossistemas e a cultura do campo, construção coletiva de saberes, mapeamento e diagnóstico territorial, condução de pesquisas coletivas e entrevistas, técnicas e abordagens para produção fotográfica e audiovisual, registro e sistematização de informações, implementação de protótipos, entre outros.

As atividades do Territórios da Agricultura englobam ainda a entrega de materiais pedagógicos, doação de livros paradidáticos ao município, exposição audiovisual aberta e gratuita ao público (com materiais produzidos pelos próprios participantes), divulgação das iniciativas, articulação de parcerias institucionais, educação e inclusão social de jovens e adultos, visitas escolares das redes municipais de ensino à exposição e palestras educativas para os alunos.

O Territórios da Agricultura está alinhado a oito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na Agenda 2030 da ONU: erradicação da pobreza (1), fome zero e agricultura sustentável (2), saúde e bem-estar (3), educação de qualidade (4), trabalho decente e crescimento econômico (8), cidades e comunidades sustentáveis (11), consumo e produção responsáveis (12) e parcerias e meios de implementação (17).

 

Imagem: 2º módulo de formação do projeto Territórios da Agricultura em Camaçari. Foto de capa: Silvia Barreto

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,