77 3441-7081 — [email protected]

Campanha silenciosa e limpa exige maior esforço de candidatos

Por Joana D’Arck

A mais restritiva e curta das últimas campanhas eleitorais, por conta da nova legislação, fez sumir das ruas os costumeiros outdoores, “pirulitos”, muros pintados, bonecos gigantes e carros de som circulando diariamente tocando os jingles e chamadas para eventos das chapas majoritárias e proporcionais. Na falta destes recursos que ajudavam a esquentar o clima das eleições, os candidatos apostam mais ainda nas atividades de corpo a corpo, como fazem os deputados petistas Waldenor Pereira, federal, e Zé Raimundo estadual.

Tendo que “botar mais sebo nas canelas”, na fala deles, para percorrer diariamente as localidades do interior do estado onde atuam, em cerca de 80 municípios, Waldenor e Zé Raimundo fazem caminhadas, reuniões e inauguram comitês eleitorais. São exaustivas agendas de visitas para injetar ânimo na base eleitoral que construíram e ampliar a visibilidade às suas campanhas pela reeleição.

A estratégia tem exigido um ritmo ainda maior e muito fôlego para cumprir os compromissos. “Esta é uma campanha estranha, silenciosa e sem visibilidade nas ruas, pela falta dos carros de som, exceto nas atividades dos candidatos, e a falta das peças das campanhas. Nós procuramos esquentar o clima, motivar a nossa militância e os eleitores, divulgando os nossos trabalhos e o projeto político para continuar melhorando a vida das pessoas do nosso estado, defendendo a reeleição de Rui governador e retomada  doo projeto de Lula, que mudou a cara do Brasil, elegendo Haddad presidente, além dos nossos candidatos a senadores, Wagner e Coronel”, diz Zé Raimundo, que cumpre o segundo mandato de deputado estadual e quer se eleger para  o terceiro.

Com a experiência de dois mandatos de deputado estadual e dois de federal, Waldenor Pereira também vê na diferença da campanha atual, que impõe intensa  correria do corpo a corpo, mas se diz animado. ‘Na verdade, estamos fazendo o que temos realizado durante todos os períodos dos nossos mandatos, porque visitamos os municípios constantemente para ouvir as demandas de cada um. Só que agora estamos fazendo todos os percursos em menor tempo, porque também o período da campanha foi encurtado em relação às anteriores.  Por isso, somos muito bem recepcionados onde vamos, em reconhecimento ao trabalho que desenvolvemos, ajudando a levar água encanada, incentivando a agricultura familiar e lutando por mais melhoria de vida das pessoas”.

Jornal do Sudoeste

Categorias