Câncer de boca pode agravar casos de Covid-19

No mês dedicado à doença, especialista alerta para a importância da ida ao dentista que, ao fazer diagnóstico precoce pode salvar a vida do paciente

 

Por Ascom/Dra. Margareth Macedo

 

Maio não é apenas época de comemorar o Dia das Mães e das noivas. O Maio Vermelho também traz, no decorrer dos seus dias, alerta sério para um problema crescente no Brasil: o câncer de boca. A enfermidade é grave e, por se tratar de um problema crônico, diminui a imunidade do paciente e o deixa mais exposto à diversas outras doenças indesejadas, como a famigerada covid-19. Inclusive, pessoas acometidas por câncer podem desenvolver casos ainda mais complicados do coronavírus.

O câncer bucal, ou de boca, é uma neoplasia maligna que afeta lábios e estruturas internas, como gengivas, bochechas, céu da boca e língua. De acordo com dados, de 2020, do Instituto Nacional de Câncer (INCA), estima-se que há em torno de 11.200 novos casos de câncer de cavidade oral no Brasil. Os homens lideram a lista da doença e, embora não haja uma causa específica para isso, considera-se que seja pelo fato de eles consumirem mais álcool e tabaco, fatores preponderantes para o desenvolvimento da doença.

Conforme a dentista Margareth Macêdo, que é especialista em periodontia e atualmente especializa-se em harmonização facial, a doença também pode se desenvolver pelo excesso de medicamentos, predisposição genética, hábitos alimentares insalubres, exposição solar exacerbada, infecções virais (HPV), entre outras. “Mas pode ser evitada se as idas ao dentista estiverem em dia. O profissional dentista é capacitado para identificar possíveis carcinomas e tratar precocemente o problema. Isso aumenta muito a chance de cura ou, em casos mais graves, a sobrevida do paciente”, alerta.

Para a especialista, com a nova pandemia do coronavírus, os pacientes acometidos por câncer bucal estão ainda mais expostos, já que seus sistemas imunes estão mais vulneráveis. Ainda tem o agravante de o vírus ser transmitido pelas vias respiratórias, o que torna a infecção mais rápida e difícil de ser evitada. “Outra questão é o tratamento quimioterápico ou radioterápico. Esses pacientes não podem interromper seus tratamentos para não comprometer o processo de recuperação do câncer e, quando se infectam pela covid-19 acabam sofrendo ainda mais para conseguir se recuperar”, explica.

Por isso, nada melhor do que a prevenção, já que o câncer de boca, na maioria dos casos, pode ser evitado. Evitar o consumo excessivo de álcool, o tabagismo, infecções pelo HPV, tratar lesões pré-cancerígenas e frequentar o dentista regularmente, sempre mantendo a saúde bucal em dia.

 

Foto de Capa: Divulgação.

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,