CÂNCER DE MAMA: A Atenção Primária à Saúde garante o acesso das mulheres à detecção precoce da doença

Na Atenção Primária à Saúde é possível realizar o exame clínico da mama e a solicitação de exames para rastreamento e confirmação diagnóstica da doença. Especialistas apontam que o diagnóstico precoce do câncer de mama aumenta as taxas de sucesso do tratamento

 

Por: Luiza Aldser/Agencia Brasil 61

 

Mais mulheres têm acesso aos serviços de Atenção Primária à Saúde (APS) no Brasil. O número de usuárias cadastradas na Atenção Primária aumentou de 57 milhões, em 2019, para quase 84 milhões em 2021. E alguns dos  serviços ofertados nesse nível de atenção são a solicitação de mamografia de rastreamento para detecção precoce do câncer de mama, doença que pode atingir 66 mil mulheres em 2022, segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

O exame clínico, a identificação dos fatores de risco e dos sinais e sintomas suspeitos são ofertados  pela atenção primária como parte inicial da investigação. Já a mamografia de rastreamento, também feita pelo SUS, deverá ser solicitada para todas as mulheres com idade entre 50 e 69 anos, a cada dois anos. Mulheres consideradas de alto risco devem ter uma avaliação e indicação de rastreamento individualizadas.

Especialistas apontam que a detecção precoce da doença aumenta as taxas de sucesso do tratamento. O mastologista Marcelo Bello, diretor do Hospital de Câncer III, do Inca, destaca que, no aparecimento dos primeiros sinais e sintomas, é preciso buscar um serviço de saúde.

“O câncer de mama não é uma sentença de morte. O câncer de mama tem muito tratamento, os tratamentos são extremamente eficazes e óbvio, o ideal é você diagnosticar precocemente. Então, não pode ter medo de fazer o diagnóstico. Encontrou alguma coisa na sua mama, procure logo o serviço de saúde”, orienta Bello.

A mulher deve  procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência e manter o acompanhamento integral com a equipe de saúde da família de referência   O profissional fará a consulta direcionada à necessidade de cada mulher, com base na história clínica e no exame clínico das mamas e solicitará os exames necessários para o rastreamento da doença ou diagnóstico, no caso de sinais ou sintomas suspeitos. Foi o caso de Stephanie Pedreira, de 32 anos. A secretária, que trabalha em Brasília, foi diagnosticada com câncer de mama aos 29 anos de idade, o que também acende um alerta para que as jovens adotem a postura de estarem mais atentas ao conhecimento do seu corpo e no reconhecimento de alterações suspeitas para que possam procurar um serviço de saúde o mais cedo possível.

“Eu nunca tive o costume de fazer o autoexame das mamas porque, tanto pela idade quanto pelo fato de que eu não tinha histórico familiar, era aquela coisa meio que ‘não vai chegar até mim, não vai acontecer comigo’. Mas eu costumava ir ao ginecologista uma vez por ano, onde era realizado o exame das mamas. Até que começaram as suspeitas”, conta.

Atualmente, a secretária ainda está em tratamento com hormonioterapia e fazendo acompanhamento pelo SUS a cada seis meses.

“Dou muitas graças a Deus por ter conseguido fazer esse tratamento pelo SUS. Fui muito bem atendida, a oncologista que me acompanha é maravilhosa, a equipe de enfermagem é muito atenciosa. É muita coisa boa, muitas pessoas que você vê que estão ali realmente para cuidar de você, pra te ajudar”, ressalta Stephanie.

Sinais e sintomas (Fonte: Inca)
* Nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor: é a principal manifestação da doença, estando presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher;
* Pele da mama avermelhada, retraída ou com aspecto de casca de laranja;
* Alterações no mamilo (bico do peito);
* Nódulos nas axilas aumentados;
* Saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos.

Porta de entrada
Entre 2020 e 2021, o Ministério da Saúde investiu mais de R$ 196,7 milhões em 4,5 milhões de exames de mamografia para diagnóstico e rastreio da doença. No período, aplicou mais de R$ 5,7 milhões em 6,5 mil reconstruções mamárias. O ministério destinou, ainda, mais de R$ 10,5 milhões em 25,1 mil cirurgias para o tratamento de câncer de mama.

Além desses procedimentos, que fazem parte da Atenção Especializada, a Atenção Primária à Saúde (APS) é responsável pelas ações de prevenção do câncer, pelo reconhecimento das mulheres de alto risco, rastreamento e identificação dos sinais e sintomas sugestivos do câncer, sendo a principal porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS). Assim, é o primeiro contato que o indivíduo ou família tem quando procura uma Unidade Básica de Saúde (UBS), por exemplo, para prevenir ou tratar algum problema de saúde.

As equipes da APS promovem ações de saúde individuais, familiares e coletivas que envolvem educação em saúde, promoção, prevenção, , diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de danos, cuidados paliativos e vigilância em saúde. Esse serviço é realizado por uma equipe multiprofissional e dirigido à população em cada território definido.

“Na Atenção Primária à Saúde, além de se fazer a solicitação da mamografia de rastreamento como método de detecção precoce do câncer de mama, também se trabalha a questão de sinais e sintomas do câncer de mama junto às mulheres e formas de prevenção primária, como o estímulo à prática de atividade física, a manutenção de um peso saudável, alimentação adequada e saudável rica em alimentos in natura e pobre em ultra processados”, explica a médica e coordenadora geral de Prevenção de Doenças Crônicas e Controle do Tabagismo, Patrícia Izetti.

Onde realizar os exames
No Brasil, há 317 unidades e centros de assistência habilitados no tratamento oncológico. Tais estabelecimentos integram a rede SUS e também ofertam exames pré-clínicos gratuitos para o câncer de mama. Confira a listagem de hospitais credenciados no site do Inca ou procure a secretaria de saúde do seu estado para mais informações.

 

 

Foto da capa: Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO)

 

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,