Cidade Verde abandona linhas de ônibus e Prefeitura assume itinerários em Vitória da Conquista

Por Gabriela Couto

 

Conquistenses residentes nas localidades de Senhorinha Cairo, Lagoa das Flores, Fazenda Santa Marta e Pradoso se depararam na última quinta-feira, 11, com a notícia de que a Cidade Verde Transporte Rodoviário, concessionária dos serviços de transporte coletivo público do município, tiraria de circulação os ônibus que atendiam as linhas desses Bairros dois dias depois, já a partir do sábado, dia 13. Essas linhas fazem parte do Lote 01, que a empresa havia assumido desde a falência da Viação Vitória, no ano passado.

A Cidade Verde continua operando em dezessete linhas, mas prometeu a retirada da sua frota de todo o Lote 01 até o dia 31 de maio. A empresa alegou que o motivo para a retirada dos seus veículos seria a grave crise do sistema de transporte público da cidade, agravada pelo transporte clandestino.

Durante todo o último final de semana, a Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista se reuniu diversas vezes, juntamente com a Câmara Municipal de Vereadores, para tentar um acordo com a Cidade Verde, o que não ocorreu. Sem acordo com a concessionária, a Prefeitura Municipal decidiu pela contratação emergencial da Viação Novo Horizonte para atender à população dos Bairros cujas linhas foram desativadas pela Cidade Verde. A decisão foi publicada em edição extraordinária do Diário Oficial do Município na noite do domingo, 14.

O Procurador Geral do Município, Carlos Murilo Mármore, e os secretários municipais de Mobilidade Urbana e de Administração, respectivamente Jackson Apolinário Yoshiura e Kairan Rocha Figueiredo. Foto: Gabriela Couto.

Na manhã da segunda-feira, dia 15, a Prefeitura Municipal, representada pelos secretários municipais de Mobilidade Urbana e de Administração, respectivamente Jackson Apolinário Yoshiura e Kairan Rocha Figueiredo, e pelo Procurador Geral do Município, Carlos Murilo Mármore, concedeu entrevista coletiva para oficializar a decisão e esclarecer a contratação da Viação Novo Horizonte para atender essas linhas pelo período de 30 dias. De acordo com o gestor, foi feita a contratação especial de nove veículos (sete ônibus e dois micro-ônibus) da Viação Novo Horizonte, que vão atender à população das localidades que tiveram os serviços cancelados pela Cidade Verde. Durante o período da contratação especial não serão cobradas tarifas dos usuários.

Mesmo com a decisão do Governo Municipal de contratar emergencialmente a Viação Novo Horizonte, moradores das localidades que foram atingidas com a retirada dos veículos da Cidade Verde, estiveram no local da coletiva de imprensa e protestaram contra a Prefeitura. Utilizando apitos e cartazes, os moradores demonstraram a indignação por mais uma vez terem sido prejudicados com a falta de ônibus coletivos. Os moradores lembraram que a crise no transporte público municipal se arrasta por quase um ano, desde que a Viação Vitória, antiga gestora do Lote 01, começou a dar sinais de que pararia de funcionar na cidade.

A questão da acessibilidade dos veículos colocados à disposição da população pela Viação Novo Horizonte e de mobilidade em diversas vias dos Bairros foi destacada pelas lideranças dos manifestantes para justificar a contrariedade com a decisão adotada pela Prefeitura Municipal. Como explicou o líder comunitário do Bairro Lagoa das Flores, Tiago Pinheiro: “A gente está sendo a cada dia mais penalizado, um dia a gente acorda sem ônibus, na madrugada se publica um Diário Oficial com uma medida unilateral e a Novo Horizonte não nos atende, não atende um senhor que estava aqui há pouco de muletas, que não tem condições de subir naquela escada que é alta, não atende ao cadeirante, não atende os idosos, não atende uma gestante em condição de risco em sua gravidez. Hoje nós já tivemos problemas pela dificuldade dos ônibus da Novo Horizonte em entrar em várias vias.”, falou.

Um dos primeiros questionamentos da imprensa presente foi quanto à legalidade do processo de contratação da Viação Novo Horizonte. De acordo com o secretário municipal de Administração, Kairan Rocha, após a sinalização de abandono da Cidade Verde, a Prefeitura procurou uma empresa que pudesse atender em tempo hábil a necessidade da cidade, e por isso, a escolha da Nova Horizonte. Além disso, segundo o titular da Secretaria Municipal de Administração, trata-se de uma contratação especial em caráter emergencial, para que nesse período de trinta dias a Prefeitura possa fazer um novo processo emergencial ou um novo processo licitatório para solucionar definitivamente o problema do Lote 01, que foi assumido pela Cidade Verde também em caráter emergencial. Rocha explicou que o valor acordado – R$ 810 mil – será pago à Viação Novo Horizonte ao final dos trinta dias com recursos do Tesouro Municipal.

O secretário de Mobilidade Urbana, Jackson Yoshiura, afirmou ainda que nos próximo 45 dias, o estudo sobre o transporte da cidade, que incluirá não somente os ônibus, como também vans, aplicativos e táxis, será concluído, e que com o relatório em mãos o Governo Municipal poderá ter uma visualização mais abrangente das realidades da cidade e assim poderá tomar medidas mais efetivas para a resolução dos problemas dos usuários de transporte de Vitória da Conquista.

Durante essa transição, a Prefeitura afirmou que agentes de transporte estarão dentro dos ônibus acompanhando os motoristas para que o itinerário seja cumprido e para que junto à população todas as dúvidas sejam esclarecidas.

A Prefeitura garantiu para a população de Vitória da Conquista que está preparada para assumir todo o Lote 01, caso a Cidade Verde deixe de operar, visto que já está na mesa da empresa a proposta de renovação desse contrato emergencial, mas ainda não se sabe se ela assinará ou não.

JS tentou contato com representantes da Cidade Verde Transporte Rodoviário, mas até o fechamento da matéria não obtivemos retorno.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,