Comércio e eventos aquecidos com a Copa do Mundo

Comerciantes e empresários de diversos setores estão animados com a economia que gira em torno da Copa do Mundo de Futebol.. A expectativa é de aumento nas vendas e incremento da receita. Quanto mais o Brasil avançar no torneio, melhor será o reflexo para o comércio

Por: Lívia Braz/Brasil 61

O evento esportivo que faz o país parar em frente às telas e une quase  todos numa só torcida está batendo à porta. A Copa do Mundo de futebol, que sempre acontece nos meses de junho e julho, agora será entre novembro e dezembro, por conta das altas temperaturas nos meses de verão do país sede, o Catar. Mas, por aqui, o calor faz parte da festa e reaquece também o comércio e os setores de bares, restaurantes e entretenimento.

Uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) com 1.709 empresários de todo o país mostrou que quase metade deles deve contratar funcionários até o fim do ano, como explica o líder de conteúdo e inteligência da associação, José Eduardo Camargo. “Com isso, a nossa expectativa é que 80 mil novas vagas sejam criadas no setor até o final do ano e muitas delas devem permanecer ocupadas no ano de 2023.”

Mas toda festa pede mais que comida e bebida. Decoração é parte importante e ajuda os torcedores a entrarem no clima. Uma das maiores redes de festa e decoração de Brasília (DF) começou os preparativos para essa temporada em dezembro do ano passado. Entre os itens mais vendidos estão camisetas, bandeirinhas, artigos de decoração e adereços, como perucas, chapéus e óculos. E as vendas devem ser 30% maiores que neste mesmo período do ano passado.

“Acreditamos muito que essa retomada dos grandes eventos no pós-pandemia, a nível mundial como é o caso da Copa do Mundo, vai realmente impulsionar nossas vendas e fazer com que as pessoas acreditem que podem sair de casa com segurança, que podem comemorar juntas nos grandes eventos, como é o caso da Copa do Mundo.” Acrescenta a gerente de marketing da empresa, Diná Costa.

O famoso torneio, que começa no próximo dia 20, dura cerca de um mês e muitos jogos acontecem em dias de semana, quando normalmente o movimento do setor  cultural é menor. Por isso, o diretor regional da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos, Aci Carvalho, acredita num incremento do movimento neste período.

“Um evento desse porte cria essa demanda e incrementa a receita desse setor. E aí nós estamos falando de turismo, bares, hotéis, aplicativos, táxis e de toda uma cadeia do entretenimento que respira e sobrevive desse tipo de produto.”

Quem está nos bastidores, organizando festas e produzindo eventos, como é o caso do Aci, surfa na onda da Copa e torce ainda mais para a nossa seleção deslanchar  na Copa e chegar à final.

“A gente pede que todos torçam pelo Brasil, torçam pela nossa Seleção, porque quanto mais longe a nossa Seleção for, mais eventos de qualidade, mais consumo, mais receita, mais impostos e mais diversão e sorriso no rosto das pessoas nós vamos ter. E é disso que a gente precisa nesse momento.”

A cerimônia de abertura da Copa do Mundo do Catar será no dia 20 de novembro, um domingo, ao meio-dia, pelo horário de Brasília. A partida inaugural acontece logo em seguida, entre Catar e Equador, no Estádio Al Bayt, na cidade de Al Khor. E o primeiro jogo do Brasil será no dia 24, às 16h, contra a seleção da Sérvia.

Foto de capa: Divulgação Casa e Festa

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,