Comércio tem queda de 0,7% nas vendas de outubro, mostra Serasa Experian

O setor de Veículos, Motos e Peças impactou o índice com a maior retração do mês

Por: Serasa Experian

 

São Paulo, 16 de novembro de 2022 – As vendas do varejo físico brasileiro marcaram leve queda de 0,7% em outubro feita a comparação com o mês anterior, que tinha revelado estabilidade. De acordo com o Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian, o setor de Veículos, Motos e Peças puxou o índice com a queda mais expressiva, de 6,0%. Também com percentual negativo estava o segmento de Supermercados, Hipermercados, Alimentos e Bebidas, com retração de 0,6%. Todas as outras áreas analisadas tiveram variações positivas, mas não foram suficientes para impulsionar o índice. Confira os dados completos no gráfico abaixo:

Para o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, apesar da melhora no cenário econômico brasileiro, algumas variáveis têm direção contrária. “A queda de outubro mostra que mesmo com a baixa da inflação, que acarreta a recuperação do poder de compra dos consumidores, a contínua alta da taxa Selic impacta setores que têm os financiamentos como principal ferramenta de compra, por exemplo, o segmento de Veículos, Motos e Peças, que apresentou a maior queda do mês, influenciando a retração geral do índice”.

 

Variação anual revela aumento

Na análise anual, entre outubro deste ano e o mesmo período de 2021, as vendas do comércio tiveram alta de 1,6%. Nesse cenário o aumento mais expressivo ficou para o setor de Combustíveis e Lubrificantes (7,3%). Em contrapartida, o segmento de Móveis, Eletrodomésticos, Eletroeletrônicos e Informática foi o único a marcar queda, essa de 2,9%. Para conferir mais informações e a série histórica do indicador, clique aqui.

 

Metodologia

Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio é construído, exclusivamente, pelo volume de consultas mensais realizadas por cerca de 6.000 estabelecimentos comerciais à base de dados da Serasa Experian. As consultas são tratadas estatisticamente pelo método das médias aparadas, com corte de 20% nas extremidades superiores e inferiores das taxas mensais de crescimento, relativas a cada estabelecimento comercial dentro de cada um dos seis segmentos varejistas pesquisados. Para a formação da série agregada do Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, as taxas de crescimento resultantes de cada segmento varejista são ponderadas pelo peso relativo de cada um deles na Pesquisa Mensal de Comércio – Varejo Ampliado, do IBGE, respeitando-se as suas revisões metodológicas.

Foto da Capa: Pixabay

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,