Como vender a sua ideia de negócios

Investidor anjo dá dicas para fazer a ideia se tornar interessante para investidores

Por: Paola Fernandes

Ter novas ideias é fácil. Elas surgem a todo momento, para todas as pessoas, de todas as horas. Provavelmente você já ouviu várias pessoas dizerem que tem uma ideia para um aplicativo melhor que a Uber, ou uma empresa com a logística melhor que o iFood, por exemplo, certo?

Para Jonathas Freitas, empresário e investidor anjo que já participou da fundação de mais de 40 startups de tecnologia que se tornaram reconhecidas nacional e internacionalmente, a grande diferença não está em ter ideias e sim, na capacidade de conseguir executar o projeto, tornar seu produto ou serviço interessante, rentável e passível de ser comprado por investidores. “Qualquer pessoa pode ter uma ideia que vai mudar o mundo. Mas são poucas aquelas que conseguem tirar essa ideia do campo da mente e torná-la palpável, interessante e disponível para ser colocada em prática. Essa é a grande diferença entre um empreendedor com potencial e um que não consegue se desenvolver”, explica o especialista que é considerado uma das pessoas mais importantes da tecnologia nos dias de hoje. “Qualquer investidor, antes de aportar na ideia, acredita na pessoa por trás dela. A pessoa vale muito mais que a ideia”, completa.

De fato, para se ter ideias basta pensar um pouquinho fora da caixa ou se deparar com uma situação diferente na rotina. Mas, para fazer um investidor se apaixonar a ponto de investir o próprio dinheiro nela, é preciso suar a camisa. Por isso, Freitas compartilha algumas de suas dicas do que o fazem se interessar pelo negócio antes do primeiro investimento, veja:

Conhecimento de mercado e de clientes

Ao ter uma grande ideia, o empreendedor precisa se aprofundar no mercado em que pretende se inserir e nos clientes que se beneficiarão da solução. Só assim, é possível saber se o negócio será rentável a longo prazo. “Muitos empreendedores têm ideias mirabolantes mas não tem noção de como é o mercado ou como são os clientes. Assim, a ideia não se torna palpável, não existem formas de tirá-la do papel se não se tem conhecimento de mercado e de clientes”, explica Jonathas.

Ideia não conseguiu “ser morta”

Ter reforço positivo é fácil. Apesar disso, um bom empresário precisa encontrar formas de falsear e matar a sua ideia, para verificar se ela realmente é capaz de sobreviver e se ela tem um diferencial competitivo no mercado atual. Na fase de concepção e planejamento, é imprescindível encontrar pontos que podem destruir a ideia e encontrar formas de solucionar essas fraquezas, inclusive na parte de regulamentação e seus possíveis problemas legais.

Simplicidade

Boas ideias são ideias simples. Se precisa ficar explicando, tirando muitas dúvidas, quebrando muitas objeções, ainda é necessário planejar e simplificar mais. “Evite colocar muitas regras, muitas informações e muitas barreiras logo de entrada. O cliente gosta de soluções fáceis de entender”, diz o empresário.

Paixão do empreendedor

Um investidor, antes de aportar na ideia, investe no perfil do empreendedor, afinal, uma pessoa que é capaz de ter uma boa ideia é tirá-la do papel, é capaz de outras coisas grandiosas.  A paixão pelo negócio como se o mundo dependesse daquela ideia é crucial para o bom andamento, afinal, é como diz o ditado “é o olho do dono que engorda o gado”, mas eu complemento, que se você consegue criar algo que o mercado precisa muito, “você vai ter uma ração de qualidade” dessa forma, empresário e empresa viram a combinação perfeita para tracionar no mercado.

Diferencial competitivo

Toda ideia tem um diferencial competitivo quando comparada aos concorrentes. Se antes, o atendimento humanizado ao cliente era um diferencial, por exemplo, hoje, ele é um aspecto mínimo, uma obrigação. Os clientes e os mercados mudam, por isso, os diferenciais precisam estar cada vez melhores e mais competitivos. “Um empresário que está sempre pensando em inovações dentro do próprio negócio e da própria ideia, com certeza brilha meus olhos. Sei que seu negócio nunca ficará estagnado, parado no tempo”, finaliza Jonathas.

 

 

 

 

 

Foto de Capa: Divulgação

 

 

 

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,