Conversas sobre o fim: Psicóloga e atriz promove bate-papo online sobre a morte, o luto e a arte

Em cinco edições, Cristina Leifer contará com as participações de Henrique Dantas, Paola Mercer Guimarães, Antônio Nery Filho, Tom Almeida e Marcelo Veras

 

Por Ascom

 

Provocando reflexões sobre a morte, o luto, a arte e a contemporaneidade, a atriz e psicóloga Cristina Leifer promove, a partir do próximo dia 20 de março, a partir das 21h, via Zoom, o projeto Conversas Sobre o Fim.

Ao lado de importantes nomes da arte, da saúde mental, da transformação social e cuidados paliativos, Cristina – que é Doutora em Artes Cênicas, Atriz, diretora teatral, professora e psicóloga –, busca oportunizar um espaço público de fala e escuta sobre temas delicados como a morte e o luto, com o intuito de fortalecer as pessoas em seus processos subjetivos de luto, considerando que todos estamos enlutados, seja pela morte de um ente querido ou pelas mais de 260 mil mortes de brasileiros pela Covid.

“Vivemos um luto emblemático pela morte dos mais de 260 mil brasileiros. Estamos vulneráveis e precisamos falar sobre isso. Abrir um espaço público de fala e escuta sobre o tema é de extrema relevância para as pessoas, sobretudo hoje no Brasil. Com isso, nos encorajamos para atravessar esse momento com ajuda mútua, utilizando a arte como sensibilização. Divulgar abertamente os meus processos de luto e de como a arte foi importante nessa travessia talvez possa fazer sentido para alguém nesse momento”, revela Cristina Leifer.

Com cinco encontros confirmados, sempre aos sábados após a apresentação online do espetáculo “Ensaios sobre o fim – A peça”, via plataforma Zoom, a programação está dividida em:

20/03 | Henrique Dantas – Cineasta responsável pelo documentário “Dorivando Saravá – o preto que virou mar” sobre Dorival Caymmi; atualmente produz um filme que fala sobre a morte;

27/03 | Paola Mercer Guimarães – Enfermeira da Atenção Integral e Cuidados Paliativos da Clínica Amo;

03/04 | – Antônio Nery Filho – Psiquiatra, Professor da Faculdade de Medicina da Bahia – UFBA, Fundador e Coordenador do CETAD/UFBA, Médico SESAB e Criador do Coletivo Intercambiantes;

10/04 | Tom Almeida – Fundador do Infinito.etc/SP, movimento que promove reflexões sobre o viver e o morrer; criador do Cine Club da Morte, espaço de reflexão sobre a morte através do cinema;

17/04 | Marcelo Veras – Psicanalista e Psiquiatra, autor do livro Selfie, “Logo Existo” (Corrupio) e membro da Associação Mundial de Psicanálise e da Escola Brasileira de Psicanálise.

“Após dois marcantes encontros presenciais em 2019, trouxe para 2021, em cinco edições online, exímios profissionais da saúde mental, da transformação social, dos cuidados paliativos e da arte, para que possamos obter informações mais profundas sobre os temas. A minha maior expectativa é poder alcançar, através do ambiente virtual, muitas pessoas que precisam falar sobre o seu luto, mas não sabem por onde começar. Inclusive pretendo formar um grupo virtual de fala e escuta sobre o luto”, conclui Cristina.

Para Paola Mercer, enfermeira da Atenção Integral e Cuidados Paliativos da clínica Amo, “a morte e o luto são meus companheiros constantes, por vezes amigos em outras inimigos, sempre ensinando e ajudando a evoluir. A proximidade da morte, a experiência do adoecimento e do luto nos fazem realmente protagonistas da nossa vida. Há muita arte entre o nascimento e o fim e meu papel é ser curadora desse processo. Sou muito grata pelo convite e pela oportunidade de fala desse tema tão evitado, mas que atualmente nos atinge e nos torna iguais. Além de não haver simbolismo maior: Cuidado Paliativo é a mais pura Arte de desenvolvimento do Cuidado.”

Para participar do CONVERSAS SOBRE O FIM, os interessados podem fazer a inscrição pelo e-mail [email protected] ou através do link que será disponibilizado no dia do evento nas redes sociais do espetáculo “Ensaios sobre o fim – A peça”. Mais informações através do Instagram @ensaiossobreofimapeca e facebook.com/ensaiossobreofimapeca.

Sobre o espetáculo online “Ensaios sobre o fim – A peça”

A peça é um jogo entre a realidade e a ficção. Em sua concepção, a atriz Cristina Leifer desenvolveu a dramaturgia durante o processo de elaboração do luto da morte do seu pai, como também da leitura do livro homônimo do psicanalista Wilker França, que narra na primeira pessoa a história de Laura, uma escritora em crise de criação por saber de seu estado terminal devido a um câncer no estômago. A encenação da peça foi livremente inspirada no livro de Wilker, no processo de luto da atriz, bem como na vivência de Cristina no Festival Internacional de Patrimônios Imateriais em Burkina Faso, África, em fevereiro de 2019.

O espetáculo é um acontecimento e ressoa as vozes de Cristina (atriz) e Laura (personagem) sobre o ato da escrita e os seus questionamentos diante da folha em branco, um lugar vazio que se faz metáfora ao imperativo da morte que se aproxima. Com teatro, música e poesia, a peça foi concebida como uma sessão de terapia na qual a escuta ativa está na plateia. Entre a arte e a vida, atriz e personagem se confundem em um pequeno palco móvel desenhando a luz e a sombra desses mundos que se tangenciam até o ato final. O desfecho é uma surpresa!

A música entra na cena representada pela cantora e musicista Aline Barr. Aline toca ao vivo o N’goni (harpa africana) e uma guitarra elétrica. O roteiro musical é composto de canções autorais, de Aline Barr e Cristina Leifer, Gilberto Gil, Caetano Veloso e variações distorcidas da suíte nº 5 para violoncelo solo – Sarabande, de Bach.

Para compor a equipe técnica, Irma Vidal assina a iluminação, Zuarte Jr. a cenografia, e a dançarina Bárbara Barbará para a direção de movimento.

“Nosso objetivo é provocar uma reflexão. Trazer para a pauta de discussão um tema espinhoso, velado, ausente das conversas familiares. Um assunto que todos preferem não falar. Por que temos medo de olhar a morte de frente?” Com essas palavras Cristina Leifer convida o público a refletir sobre o tema, a pensar a morte como parceira da vida, desmistificando seu lado sombrio e trágico.

Sobre Cristina Leifer

Atriz, diretora teatral, professora e psicóloga, Cristina também é Doutora em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como atriz e diretora na cena teatral baiana há mais de 20 anos. Em 2019 foi indicada ao Prêmio Braskem de Teatro pela dramaturgia de “Ensaios sobre o fim – A peça” na categoria Revelação e ganhou o mesmo prêmio na categoria Melhor Atriz pela peça “Hard Time” (1998). Em 2020 criou e produziu o edital de arte “Estou vivo?” e dirigiu os shows online da cantora Aline Barr. Criou e produziu o projeto “Bergman no Teatro” e atuou na peça “Sonata de Outono” com direção de Aimar Labaki (2014). Cursou oficinas com Michael Corbidge, Treinador Sênio de Voz e Texto da Royal Shakespeare Company (Inglaterra) e Justin Audibert, Diretor Artístico do Royal Shakespeare Company (Inglaterra), Sergey Zemtsov, Diretor do Teatro de Arte de Moscou (Rússia) e Ariane Mnouchkine, diretora do Théâtre du Soleil (França). Atualmente coordena o Cenáculo – Núcleo de Estudos Teatrais e ensina português para estrangeiros.

 

Foto de Capa: Diogo Andrade.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,