Democracia, saúde e valores

Em um regime democrático as leis são iguais para todos, portanto se temos a opção de decidir se tomamos ou não a vacina. Qual é o sentido de sofrer punição ou restrição em somente uma das opções? É pra dar origem a mais um grupo a ser discriminado? A democracia visa o bem de todos, sem preconceito ou qualquer tipo de discriminação. Uma nação democrática deve garantir irrestritamente os direitos humanos e a aplicação de medidas restritivas fere a dignidade da pessoa.

A vida é o nosso bem maior, temos o dever de velar por ela, ninguém deseja atentar contra sua vida por opção e muito menos por imposição. Portanto a decisão do cidadão de se vacinar ou não precisa ser respeitada. Até mesmo porque a responsabilidade de sua decisão recai sobre ele mesmo. Os que vão tomar a vacina não têm com que se preocupar porque já vão se considerar imunizados, portanto os que não tomarem não vão conseguir transmitir para eles e assumirão as consequências de sua decisão sem afetar o próximo. O que não acontece com a obrigatoriedade da vacina.

A função do medo é nos proteger. Se essa vacina pode ser pior que o corona vírus esse medo tem fundamento. Afinal não faz um ano que surgiu essa pandemia e as vacinas já estão prontas, desenvolvidas em tempo récorde. Quais os testes que foram realizados para conhecermos seus efeitos a longo prazo se não existiu tempo para a realização desses testes? Colocar vacinas no mercado sem serem devidamente testada, na minha opinião, é irresponsabilidade e um possível crime contra a saúde pública, mas querer obrigar, impondo medidas restritivas para que a população tome as vacinas chega a ser brutalidade.

Como uma questão partidárias a campanha a favor da vacina também é injusta e vergonhosa. Diariamente somos bombardeados com informações pro-vacina. Porque a mídia não mostra a opinião de médicos e cientistas que são contra essa vacinação para informar e esclarecer mais a população, dando a mesma mais condições para tomar a melhor decisão, se deve ou não tomá-la? A população tem amor a vida e o direito de ouvir outras opiniões.

Confiança se conquista com transparência, verdade e veracidade. Não é com informações falsas ou distorcidas e muito menos com medidas autoritárias de obrigatoriedade. Aplicar restrição ao cidadão sob qualquer condição implica em imposição, é medida invasiva, uma forma de coagir. Precisamos conhecer as evidências científicas que amparam as duas opiniões. Porque a mídia apresenta só as dos que são a favor da vacinação?

O dever das nações é de zelar pela saúde da população e não expor a um risco talvez ainda maior que a própria doença. Se a vacina for realmente segura o estado cumpre o seu papel ao disponibiliza-la gratuitamente para a população. No entanto as medidas restritivas são antidemocratica, desrespeitam tanto o cidadão como a democracia.

É também por tudo isso que a Educação em valores continua sendo o meu partido e a minha bandeira. Acredito que o ensino de valores como Honestidade, Respeito, Responsabilidade, entre outros, é necessário, urgente e pode nos livrar de muitos males e perigos. Feliz Natal! Que Deus nos proteja e se puder, em 2021 colabore mais com o ensino de valores humanos.

Rosita Capelo Fonteles

Doutoranda em Psicopedagogia na UAH (Universidad de Alcalá de Henares), Espanha, e pesquisadora de proposta educativa voltada para o desenvolvimento humano;  autora do Programa Cinquenta Minutos de Valores Humanos para o Ensino Superior; membro da equipe pedagógica do Programa Cinco Minutos de Valores Humanos para a Escola (https://www.cincominutosdevalores.org/) ; especialista em Educação Biocêntrica pela UECE (Universidade Estadual do Ceará); especialista em informática pela UFC (Universidade Federal do Ceará); licenciada em letras pela UECE, Brasil.
Categorias

Deixe seu comentário