Dia Mundial da Alimentação: mudanças nas normas de rótulos nutricionais é aprovada pela Anvisa

Especialista em Direito Médico, Mérces da Silva Nunes destaca os benefícios do novo formato, mas critica prazo para mudanças

 

Especialista em Direito Médico, sócia do Silva Nunes Advogados e autora do livro “O direito fundamental à alimentação e o princípio da segurança”, Mérces da Silva Nunes. Foto: Divulgação.

Por M2 Comunicação

O Dia Mundial da Alimentação é comemorado neste 16 de outubro com o intuito de desenvolver uma reflexão a respeito do quadro atual da alimentação mundial, além de lembrar a criação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), em 1945.

No início deste mês, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a nova norma sobre o rótulo nutricional de alimentos embalados. A mudança pretende deixar as informações nutricionais mais claras e legíveis, ajudando o consumidor a selecionar os alimentos de forma mais consciente. O rótulo foi idealizado com um design de lupa, caracterizando o alto teor de três nutrientes: açúcares adicionados, gorduras saturadas e sódio.

Para a especialista em Direito Médico, sócia do Silva Nunes Advogados e autora do livro “O direito fundamental à alimentação e o princípio da segurança”, Mérces da Silva Nunes, a mudança vem em bom momento. “Um dos aspectos positivos é que entre os direitos essenciais do consumidor está o da informação clara e inequívoca, e isso vai passar a ser respeitado pelos fornecedores, que serão obrigados a informar a qualidade dos nutrientes usados na preparação dos alimentos e bebidas”. As informações na região frontal das embalagens devem auxiliar o consumidor pela escolha mais saudável “Hoje, nem todos têm paciência para ler as informações, pois elas são praticamente ininteligíveis”.

A norma deverá entrar em vigor em dois anos. Tempo para a indústria se adaptar. O prazo é criticado pela especialista. “É um tempo muito longo para essa adaptação, e durante esse período o consumo de alimentos não saudáveis continuará acontecendo sem nenhuma interrupção, o que é bastante ruim para a saúde dos consumidores em geral, pois muitos não têm a menor consciência da quantidade de ingredientes não benéficos para a saúde que eles têm consumido”, conclui Mérces.

Foto de Capa: Divulgação/ Anvisa.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,