Dia Mundial e Nacional da Osteoporose: Conheça os mitos e verdades sobre a doença

Médico esclarece dúvidas sobre o problema que atinge 10 milhões de pessoas no Brasil

 

Por Ascom  HSANP

 

Celebrado em 20 de outubro, o Dia Mundial e Nacional da Osteoporose chama a atenção para uma doença silenciosa e sem sintomas aparentes que atinge cerca de 10 milhões de pessoas no Brasil, com 200 mil óbitos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), e, no mundo, afeta 200 milhões de pacientes.

A enfermidade causa a diminuição da massa óssea, resultando em ossos frágeis e porosos. Como não há a presença de dor entre seus sintomas, na maioria das vezes, as pessoas só descobrem quando há alguma fratura.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 1 em cada 3 mulheres e 1 em cada 5 homens acima dos 50 anos desenvolvem a doença.

Porém, ainda há muitas dúvidas que as causas e tratamentos para essa patologia. Por isso, o doutor Ulisses dos Santos, Diretor Médico do Hospital HSANP, esclarece o que é mito ou verdade:

– A osteoporose atinge mais o sexo feminino.

VERDADE. A doença atinge mais mulheres após os 50 anos devido à queda brusca de estrogênio, hormônio que ajuda a manter o equilíbrio da estrutura óssea.

– Quem tem a doença não pode praticar atividades físicas.

MITO. O exercício físico estimula a formação e fortalecimento ósseo, por isso, a prática é indicada. Contudo, recomenda-se que a atividade seja acompanhada por um educador físico.

– A enfermidade não tem cura.

VERDADE. Embora não tenha cura, existem diversos tratamentos incluindo medicamentos e medidas não medicamentosas. O tratamento varia de paciente para paciente, por isso, é essencial o acompanhamento médico.

– A principal forma de prevenção é aliar uma alimentação saudável com a prática de exercícios físicos.

VERDADE. As medidas de prevenção contra a osteoporose podem e devem ser realizadas durante a vida toda, pois cerca de 90% da estrutura óssea é formada até os 20 anos de idade. Portanto, é fundamental a ingestão de alimentos ricos em cálcio, além de manter uma dieta equilibrada. Já as atividades físicas são importantes para fortalecer e formar o tecido ósseo. Outro benefício dos exercícios é o desenvolvimento do reflexo e equilíbrio, prevenindo as quedas.

– Hábitos alimentares na infância podem impactar no desenvolvimento da osteoporose.

VERDADE. A massa óssea é formada na infância e adolescência e necessita do cálcio e da vitamina D para sua formação. Por isso, é importante adotar uma alimentação saudável, com alimentos ricos em nutrientes desde a infância, para que a estrutura óssea seja forte quando adulto. Quanto mais sólido o processo de calcificação do osso, menor será a probabilidade de desenvolver a doença.

– Apenas os laticínios são fontes boas de cálcio.

MITO. Existe cálcio também de origem vegetal, como nozes, sementes, alho e vegetais de folha verde escura. É importante a consulta com o nutricionista para adaptar fontes variadas de cálcio no cardápio.

– A doença pode afetar diversas partes do corpo.

VERDADE. Ela pode atingir diversas partes do corpo, tais como: coluna, punho, braço e fêmur, sendo que este último membro citado é considerado bastante perigoso, pois pode colocar em risco a vida do paciente, em função das complicações do trauma.

Foto de Capa: Divulgação.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,