77 3441-7081 — [email protected]

Dupla de estelionatários se passa por empresários e dá golpe em Brumado

Por Redação

 

O Serviço de Inteligência da 20ª Coordenadoria de Polícia Civil do Interior/Delegacia Territorial de Brumado está investigando a atuação de uma dupla de estelionatários que se passavam por empresários e se identificavam como sendo de Jequié ou Vitória da Conquista e que causou prejuízos a proprietários de imóveis e comerciantes em Brumado.

Apresentando-se como sendo Ricardo Araújo Santos e André (sobrenome não informado), a dupla alugou um apartamento em um condomínio da cidade, um ponto comercial no centro da cidade e contratou funcionários. O empreendimento, registrado na Secretaria da Receita Federal do Brasil com o Cnpj (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) sob o número 17.392.224/0001-99 [Ricardo Araújo Santos Eireli] e nome fantasia Atacadão Brumadense, em 11 de janeiro de 2013, para atividades diversas do comércio varejista [lojas de departamentos ou magazine], estabeleceu em um ponto comercial no centro da cidade, que foi apresentado como referência para aplicação dos golpes.

A empresa, que supostamente foi usada como “fachada” para aplicação dos golpes em Brumado, está regularmente registrada na Secretaria da Receita Federal do Brasil. Foto: Divulgação. Foto: Divulgação.

O curioso é que pesquisando pelo nome “Atacadão Brumadense’”, encontramos em um site de consulta de Cnpjs (https://www.cadecnpj.com) a mesma inscrição [17.392.224/0001-99] registrada em nome de outra razão social, embora com o mesmo endereço, também aberta em 11 de janeiro de 2013. E, que nesta data, segundo o proprietário do imóvel, não havia nenhum contrato de locação vigente.

Com a empresa “funcionando”, os dois indivíduos abriram contas em três bancos, segundo informações prestadas ao JS por um advogado que está tratando dos interesses de um dos empresários que teriam sido lesado pela dupla [Bradesco, Caixa Econômica Federal e Sicoob – na agência do Banco do Brasil a conta não foi aberta porque o funcionário teria suspeitado da dupla] e realizaram compras em estabelecimentos comerciais da cidade que não foram quitados ou pagos com cheques sem fundos, causando prejuízos estimados em cerca de R$ 30 mil.

Também foram vítimas dos golpes aplicados pela dupla dois jovens que trabalharam na “empresa” e não receberam salários e nem as verbas indenizatórias. Um deles, um rapaz cuja identidade está sendo preservada, teria recebido os móveis de escritório (que não foram pagos na loja) para quitação dos salários e verbas indenizatórias. O rapaz, apesar de ao que tudo indica ter recebido os móveis de boa-fé, poderá responder por apropriação indébita, segundo revelou ao JS um advogado. Também estão entre as vítimas da dupla os proprietários dos imóveis (apartamento residencial e ponto comercial) locados que não receberam ou teriam recebido cheques sem fundos para pagamento dos alugueis acordados.

Ricardo Araújo Santos, que também se apresentava como André, é suspeito de aplicar golpes que causaram prejuízos de cerca de R$ 30 mil em Brumado – Foto: Divulgação

Segundo informações colhidas pela reportagem do JS, considerando que a documentação apresentada nas transações que realizaram individualmente, inclusive para abertura de empresas e de contas bancárias, eram a mesma, há a suspeita que tenham sido falsificadas ou sejam de uma pessoa que faleceu e a família – até por desinformação – não deu baixa ou ainda, que perdeu os documentos e não registrou Boletim de Informação.

Há, também, considerando que a empresa [Atacadão Brumadense] teria sido aberta em janeiro de 2013, a possibilidade de os supostos golpistas já terem dado o golpe em outros municípios.

No imóvel que funcionou como sede da empresa, na placa de identificação, consta um número de telefone [77 3202-5510] inexistente segundo a operadora de telefonia fixa, e um endereço eletrônico ([email protected]) que não responde aos contatos feitos. O telefone registrado na Receita Federal como sendo da empresa (3441-7540) também não atende as ligações.

De acordo com uma busca no sitio eletrônico da Receita Federal do Brasil foi identificado que o suposto empresário que aparece como sócio da empresa que aplicou os golpes em Brumado, Ricardo Araújo Santos, tem registrado em seu nome outros três empreendimentos, todos no Rio de Janeiro. A reportagem do JS tentou, sem sucesso, contato com as empresas apontadas como sendo de Ricardo Araújo Santos pelos telefones registrados na Receita Federal [021 3851-5317 e 021 98223-0700] sem sucesso. Os telefones não atendem e, segundo as operadoras, não possuem caixa postal.

Ricardo Araújo Santos também aparece como responsável pela Associação Municipal dos Mototaxistas de Conde/Bahia, cujo telefone [75 3421-3175], segundo a operadora de telefonia fixa não recebe ligações.

A empresa “Atacadão brumadense”, conforme denúncia protocolada na Delegacia Territorial de Polícia Civil de Brumado, serviu de fachada para aplicação de golpes que causaram prejuízos estimados em R$ 30 mil em Brumado. Foto capa: Fillipe Lima

Jornal do Sudoeste

Categorias ,