Evite o desperdício! Instituto Akatu dá dicas de consumo consciente para a economia de luz na crise elétrica

ONG ajuda os consumidores a tomarem atitudes positivas para o bolso, o meio ambiente e o país como um todo

 

Por  Ascom/Instituto Akatu
O Brasil enfrenta uma séria crise hídrica e energética, agravada pelo menor nível de chuvas no país em 91 anos e pela consequente baixa vazão dos reservatórios de água para a geração hidrelétrica, nossa maior fonte de energia. Para evitar riscos de racionamento e até mesmo de apagões, o país ampliou o uso de termelétricas, opção menos sustentável e mais cara. Sobrou para o meio ambiente e, também, para o consumidor: a partir de julho, o valor da bandeira vermelha terá aumento de 52% na conta de luz, justamente para bancar essa operação. Pensando nisso, o Instituto Akatu, principal ONG do país dedicada à sensibilização e à mobilização para o consumo consciente, preparou uma série de dicas para ajudar as pessoas a superarem esse momento. E tudo isso passa pela adoção de novos hábitos.

“Além de governos e empresas, é importante a população ter a consciência que também pode fazer a sua parte. Ao evitar o desperdício de energia elétrica no dia a dia, em nossas casas, economizamos na conta de luz, poupamos esse recurso e contribuímos para que o país supere a crise”, enfatiza Bruna Tiussu, gerente de comunicação do Instituto Akatu.

Atitudes simples – como apagar as luzes ao sair do ambiente, reduzir o tempo de banho no chuveiro elétrico e tirar da tomada equipamentos que não estão em uso – proporcionam economia no fim do mês e ainda podem ajudar a evitar racionamentos. Todo mundo sai ganhando. Evitar o desperdício e fazer um uso consciente de energia elétrica, portanto, deve ir além de um cenário de crise – são comportamentos que precisamos adotar diariamente, faça chuva ou faça sol.

“A crise hídrica é também uma oportunidade para o país repensar seus modelos de produção e de consumo. Afinal, tudo está interligado: a falta de chuvas que acarreta a seca dos reservatórios é, de certa forma, reflexo do aumento das queimadas e do desmatamento, além de consequência da crise climática e do aquecimento global”, destaca Bruna.

Confira sete dicas para economizar energia elétrica:

• Aproveite ao máximo a luz natural do dia. Evite acender lâmpadas sem necessidade e lembre-se de desligá-las ao sair de um ambiente. Vale ressaltar que esta prática também aumenta a vida útil das lâmpadas.

• Mantenha a casa iluminada sem desperdiçar energia : substitua as lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de LED, que têm maior vida útil e são mais eficientes energeticamente. Apesar de mais caras, as lâmpadas de LED compensam devido à menor necessidade de troca em comparação às fluorescentes, além da redução no valor da conta de luz.

• Reduza o seu banho diário em 1 minuto e economize energia para carregar muitas vezes o celular: o chuveiro elétrico costuma ser o maior consumidor de energia de uma casa, ao lado do ar-condicionado. Apesar do frio em boa parte do país, evite banhos longos no chuveiro elétrico.

• Cuidado com o consumo em modo stand-by : não deixe a TV ligada à toa e tire o computador da tomada quando não estiver em uso. O mesmo vale para os demais eletrônicos e eletrodomésticos, uma vez que o modo stand-by consome energia sem percebermos.

• Evite passar roupa desnecessariamente : acumule o máximo possível de peças para usar a máquina de lavar e o ferro de passar. Se possível, pendure as roupas em cabides para que elas sequem e desamassem naturalmente. Dependendo do tipo de tecido, a peça pode até dispensar o ferro de passar e ir direto para o guarda-roupa.

• Evite abrir a porta da geladeira à toa: o ar quente obriga o motor do equipamento a gastar mais energia elétrica para resfriá-la novamente. Na hora de colocar ou retirar os alimentos, faça tudo de uma só vez, e não guarde recipientes quentes, pois isso também aumenta o consumo de energia. E verifique se a borracha da porta da geladeira está em boas condições, pois ela isola o interior do refrigerador e evita maior consumo de eletricidade.

• Fique atento ao comprar um eletrodoméstico: procure o selo Procel ou a etiqueta do Inmetro, que indicam os aparelhos energeticamente mais eficientes. Também vale a pena avaliar a substituição de equipamentos antigos por novos, em geral mais eficientes no consumo de energia.

Para mais dicas de consumo consciente de energia, acesse aqui .
Foto de Capa: Pixabay.

Jornal do Sudoeste

Materias Recentes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,