Ex-primeira-dama entra na disputa e embaralha sucessão municipal em Ituaçu

Da Redação

 

Marisa Rocha Santos Wanderley, esposa do ex-prefeito Juvenal Wanderley Neto (Patriotas). Foto: Divulgação.

A pouco menos de cinco meses para o início efetivo das definições partidárias visando a sucessão municipal – o calendário eleitoral determina que as convenções das legendas ocorram entre 20 de julho e 5 de agosto de 2020 – nomes surgem como possíveis pleiteantes à disputa pela Prefeitura Municipal de Ituaçu.

No xadrez político ituaçuense uma mulher poderá embaralhar o jogo na sucessão municipal de 2020. Marisa Rocha Santos Wanderley, esposa do ex-prefeito Juvenal Wanderley Neto (Patriotas), que comandou o município entre 2009 e 2012, é cotada no grupo para disputar a Prefeitura nas eleições previstas para o próximo dia 4 de outubro.

Marisa Wanderley, confirmada a sua indicação para encabeçar a chapa majoritária do Patriotas à sucessão municipal, terá o marido, que tem um histórico de uma gestão bem avaliada, além, evidentemente, do trabalho que realiza, principalmente na área social, mesmo depois que o esposo deixou o comando da Prefeitura Municipal, como principal cabo eleitoral.

Aos 39 anos, Marisa Wanderley tem o perfil ideal para a disputa marcada tradicionalmente pela hegemonia masculina: é mulher, mãe de dois filhos, servidora pública, além de ter uma extensa folha de serviços prestados à população de Ituaçu, notadamente à parcela mais vulnerável, na área social.

Segundo lideranças do Patriotas ouvidas pelo JS, Marisa Wanderley, portanto, é qualificada e, considerando a tendência do eleitorado de romper com a polarização e apostar em um novo modelo de gestão, passa maior segurança ao grupo. Esse entendimento, sido discutido internamente no Patriotas e ganhado força, segundo revelou uma das lideranças do partido, que concordou em falar desde que não tivesse a identidade revelada, em dados de pesquisas informais realizadas na sede e zona rural. O ex-prefeito Juvenal Wanderley Neto, inclusive, já teria assimilado a opção e já estaria trabalhando o próximo passo, que seria convencer Marisa Wanderley a assumir a missão.

A ex-primeira-dama, afinada com os novos tempos da política, tem revelado a pessoas próximas que ainda não estaria motivada a assumir o papel de protagonista para disputa da sucessão municipal, embora insista que já teria sido convencida que tem o perfil que a população, especialmente a parcela mais jovem do eleitorado, sinaliza vai exigir dos candidatos.

Como seguramente apenas o debate ideológico, a disputa polarizada entre situação e oposição, não terá forças suficiente para empolgar o eleitorado, o espaço vai estar aberto e vai chamar mais a atenção das pessoas quem tiver um discurso pautado na proposição de ações que visem o aproveitamento sustentável das riquezas naturais e potencialidades do município para promover e impulsionar o desenvolvimento econômico e social. E é nesse cenário que a ex-primeira-dama aparece com chances reais de disputar e vencer as eleições municipais do próximo mês de outubro.

 

Foto de Capa: PMI.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,