77 3441-7081 — [email protected]

Expansão da cardiologia na Bahia é apresentada em congresso

Por Ascom Sesab

 

Com investimentos em prevenção e na área de cardiologia, a Bahia conseguiu reduzir as taxas de internações e óbitos relacionados às doenças cardiovasculares em mais de 20% na faixa etária entre 30 e 59 anos. O fato pode ser atribuído, em grande parte, à expansão da média e alta complexidade na especialidade, foi o que apresentou o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, nesta sexta-feira (26), na abertura do XII Congresso Brasileiro de Cardiologia Intensiva.

“Nos últimos dez anos temos visto uma mudança de realidade para descentralização do atendimento cardiovascular em nosso estado. Começamos a ver florescer serviços no interior do estado em cidades como Vitória da Conquista, Feira de Santana e Teixeira de Freitas”, pontuou Fábio Vilas-Boas.

Na apresentação, o Secretário destacou o funcionamento das oito policlínicas dos consórcios interfederativos de saúde, onde são realizados todos os exames de Cardiologia, incluindo eletrocardiograma, teste de esforço, ecocardiograma, Holter, mapa e ultrassom Doppler. Já os exames de angiotomografia, Ressonância Cardíaca e cateterismo cardíaco são realizados em cinco centros especializados em todo o estado.

Na alta complexidade, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) lançou uma política de atenção integral ao Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), que resultou na ampliação dos serviços de cirurgia cardíaca e hemodinâmica na capital e no interior, a exemplo do Hospital Regional da Costa do Cacau, em Ilhéus, e do Hospital Geral Roberto Santos, além da ampliação do serviço do hospital Ana Neri, em Salvador.

Está prevista para 2019 a inauguração de novos serviços de hemodinâmica e cirurgia cardíaca nos hospitais estaduais localizados nos municípios de Irecê, Barreiras e Porto Seguro. Além disso, em Salvador, o Governo do Estado está implantando um Centro Especializado em Hipertensão Arterial Sistêmica e Aterosclerose.

 

Doenças do coração

No Estado, mais de 12 mil pessoas morrem, por ano, vítimas de doenças do coração. Já o número de internações ultrapassa 46 mil. Algumas doenças cardíacas são: reumáticas crônicas do coração, isquêmicas, cardíaca pulmonar e hipertensiva, que está entre as de maior incidência, com cerca de 13,5 mil internações e em segundo lugar na causa morte, com 3,3 mil óbitos, atrás apenas no Infarto Agudo do Miocárdio (4,5 mil).

 

Aparelho de hemodinâmica no Hospital Regional da Costa do Cacau, em Ilhéus.

 

Jornal do Sudoeste

Categorias