Faturamento deve alcançar R$ 2,5 bi em 2022 com segmento de forjados

A projeção da empresa é que o faturamento bruto fique em torno de R$ 2,5 bilhões em 2022

 

Por: Agência Brasil 61 

 

O Grupo Açotubo planeja para os próximos meses entrar no mercado de aço forjado com o objetivo de estar entre três principais players do mercado nacional envolvendo o produto, com projeção de aumento, em 2023, de 50% na receita de negócios no segmento em comparação com este ano. Em 2021, o faturamento bruto da empresa alcançou R$ 2 bilhões. A projeção da Açotubo é que o faturamento bruto fique em torno de R$ 2,5 bilhões em 2022.

“Garantimos, no ano passado, estoque estratégico em aço forjado para atender os clientes ao longo de 2022 e dispomos de material a pronta-entrega e novos equipamentos, como as novas serras automáticas de precisão que agilizam as operações e diminuem o prazo de entrega, o portfólio de soluções como usinagem, trepanação e tratamento térmico”, afirma Milton Fernandes, gerente nacional de vendas do Grupo. Já a Incotep, empresa do Grupo, ampliou, no primeiro semestre, o portfólio de soluções com os lançamentos da linha de torquímetros digitais e do IncoClube, plataforma gratuita para destacar projetos e treinamentos para o setor.

A expansão da oferta de soluções para os segmentos de mineração e energia e serviços de locação e engenharia e a atuação na América Latina fez a empresa apostar no segmento. “Ampliamos nossa participação no mercado colombiano com aumento significativo da área de armazenagem e estoque local, promovemos a renovação da frota com a aquisição de um caminhão Munck e uma Sprinter para entregas em locais restritos”, conta Fernando Del Roy, diretor de divisões industriais.

A Açotubo trabalha também em busca de melhorias operacionais que gerem menor impacto ambiental. “No semestre, houve a implantação do ‘Programa de Coleta Seletiva’, readequação dos procedimentos conforme a NBR ISO 14001, auditorias internas, aprovação do cronograma de impermeabilização do piso e formação de auditores”, revela Marcelo Watanabe, gerente de qualidade corporativa. A pauta de energia renovável também segue em alta no Grupo, que concluiu m julho a instalação no interior de São Paulo e nas filiais do Paraná e Minas Gerais de um sistema próprio de geração de energia fotovoltaica. “A Açotubo estuda ainda viabilizar o fornecimento de energia fotovoltaica para todo o Grupo que também segue com um projeto, em fase final de estudos, para a construção de uma usina fotovoltaica como um novo business para a empresa, processo que deve acontecer ao longo de 2023”, explica o Gerente Nacional de Operações e Logística Robson Garcia.

Foto da capa: Divulgação/Brasil Mineral

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,