Fevereiro Roxo: Profissionais de Fisioterapia ajudam pacientes com Alzheimer a terem melhor qualidade de vida

Campanha alerta para a conscientização dos primeiros sintomas; início precoce do tratamento, com atividades cognitivas e físicas, ajudam a retardar o avanço da doença

 

Por Ascom/Pronep Life Care 

 

O mês de fevereiro também é colorido. A campanha “Fevereiro Roxo” é dedicada à conscientização do Alzheimer, que atinge 1,2 milhão de brasileiros e 35,6 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo a Associação Brasileira de Alzheimer*. A doença afeta principalmente idosos e provoca degeneração nas células do cérebro, causando sintomas que vão desde a perda de funções cognitivas, como a memória e a linguagem, até sintomas físicos.

A pessoa atingida pelo Alzheimer começa a ter pequenos esquecimentos, que mais tarde se tornam importantes lapsos de memória. O problema atrapalha o convívio social e a realização de tarefas básicas, como escovar os dentes, tomar banho ou preparar comida, por exemplo. Em casos mais avançados, a doença pode provocar comportamento agressivo, alucinações e também pode afetar a capacidade motora.

Por se tratar de uma enfermidade incurável e que se agrava ao longo do tempo, o diagnóstico precoce e o início do tratamento com uma equipe interdisciplinar são de grande valia no combate aos sintomas mais severos, além de prolongar a autonomia aos pacientes. A participação e real envolvimento dos entes queridos também são primordiais para o sucesso do tratamento.

“Dentre as atividades recomendadas, estão exercícios que estimularão as funções cognitivas e motoras, a fim de promover melhora da funcionalidade e autonomia do paciente”, afirma Graziele Guerra, fisioterapeuta e coordenadora do setor de terapias da Pronep Life Care, empresa do grupo Sodexo pioneira no segmento de home care no Brasil.

Todos os estímulos podem ser realizados na residência do paciente, com a presença de profissionais especializados e apoio da família. “A atenção domiciliar garante ao paciente e aos entes queridos o conforto de ter pessoas capacitadas e receber um atendimento humanizado, tornando o convívio diário mais tranquilo”, explica Graziele Guerra. Em 2020, a Pronep atendeu 18,8% dos pacientes em internação domiciliar com quadro relacionado a doenças neurológicas, estando o Alzheimer entre um dos causadores.

Do ponto de vista cognitivo, a terapeuta ocupacional pode empregar métodos que auxiliam o doente a aprimorar suas habilidades mentais e capacidade de memória. São indicadas atividades que exigem raciocínio lógico, atenção, tomada de decisão e reflexão, além de exercícios que auxiliem a retomada da memória de curto prazo. O fisioterapeuta, por sua vez, emprega técnicas que auxiliam no aprimoramento e reabilitação de funções motoras.

Atividades ‘sociais’ que envolvem lazer, cultura e a sociabilidade também são recomendadas. “Estar com familiares realizando tarefas de interesse do paciente, em ambientes sem agitação, ajuda a deixá-lo à vontade para que possa ter momentos agradáveis e afetuosos com quem ele gosta. É um cuidado diário que envolve atenção e empatia”, afirma a especialista.

 

Foto de Capa: Pixabay.

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,