Fratura do fêmur: saiba quais os fatores e grupos de risco

Neste episódio, o ortopedista Dr. Helder Miyahara dá mais detalhes sobre o assunto

 

Por: Brasil 61

 

Você já ouviu falar de fratura de colo de fêmur? Sabe as causas e quando suspeitar? Neste episódio, o ortopedista Dr. Helder Miyahara dá mais detalhes sobre o assunto.

O fêmur é o nosso osso da coxa e parte que articula com a pelve (também chamada bacia) é a cabeça do fêmur. O que une a cabeça e a parte longa, é o colo do fêmur.

A fratura do colo de fêmur é um problema mais comum que grande parte das pessoas imagina e pode ter sérias consequências na vida do idoso.

Em jovens normalmente tem que ocorrer um trauma de grande energia como um acidente de carro, moto ou queda de altura. Já em idosos ou outros grupos de risco é diferente. É muito mais comum e pode ocorrer por uma simples queda ou movimentação mais intensa da perna.

Fatores de risco

  • Idade e sexo: Mulheres tem 3 vezes mais chance de fratura que o homem. Isso porque após a menopausa a taxa de osteoporose na mulher é bem maior, o que significa que a mulher com mais idade tem normalmente os ossos mais fracos.
  • Outros problemas que podem causar enfraquecimento dos ossos são: desnutrição, problemas intestinais que dificultam absorção dos alimentos, deficiência de cálcio ou vitamina D, dentre outros
  • Medicamentos: medicamentos como corticoides se tomados por bastante tempo podem enfraquecer os ossos. Outros medicamentos sedativos, remédios de tarja preta, para diminuir a pressão, dentre outros podem aumentar o risco de quedas por isso estão associados a essa fratura
  • Doenças que aumentam risco de queda como demência, Parkinson, problemas de tontura, neuropatia periférica, diabetes dentre outros.
  • Sedentarismo: quem não pratica atividade física tem músculos mais fracos, ossos mais fracos e normalmente tem menor elasticidade.

E quais os sintomas de fratura de colo de fêmur?

  • Dificuldade muito grande de se levantar após essa queda
  • Dor de forte intensidade ao lado do quadril com possível fratura, que também pode ficar inchado e roxo.
  • Ao ver a pessoa deitada no chão, pode ser possível observar a perna com suspeita de fratura mais curta do que a outra e virada com o pé para fora.

O diagnóstico é feito pela suspeita clínica e por exames de imagem que incluem raio X e eventualmente ressonância magnética. O tratamento normalmente é com cirurgia de colocação de uma prótese que irá substituir a cabeça do fêmur ou mesmo uma fixação das partes ósseas fraturadas.

A fratura de colo de fêmur tem altas taxas de complicação associadas e, quanto mais tempo a pessoa fica na cama com a perna imobilizada, maiores são essas complicações que incluem: trombose, escaras, pneumonias, infecção urinária e perda importante de massa muscular aumentando o risco de quedas futuras.

Prevenção de quedas

  • Se necessário, usar bengalas, muletas ou outros instrumentos de apoio;
  • Elimine tudo aquilo que possa ser obstáculo ou provocar escorregões dentro de casa, como fios, tapetes e outros objetos;
  • Instale suportes, corrimãos e outros acessórios de segurança no banheiro, na sala, nos corredores e no quarto;
  • Use sapatos com sola antiderrapante, substitua os chinelos deformados ou frouxos e nunca ande só de meias;
  • Instale iluminação ao longo do caminho da casa, principalmente para chegar até o banheiro.

Fazendo isso seu risco de fratura de colo de fêmur diminui muito.

Foto da capa: Reprodução/Canal Doutor Ajuda

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,