Geraldo Nepomuceno de Souza ‘Geraldão’

Geraldo Nepomuceno de Souza, Geraldão, nasceu em oito de setembro de 1946, natural de Lajedo Alto/Iaçu, filho de João Nepomuceno de Souza (ferroviário) e Elza Marques de Souza (doméstica). O casal João Nepomuceno/Elza Marques de Souza teve os seguintes filhos: Luís, José, Expedito, João e Geraldo Nepomuceno de Souza (cinco homens); Luzia, Terezinha, Raimunda, Rita de Cássia, Lúcia e Conceição Maria Marques de Souza (seis mulheres).

 Com a morte do pai em agosto de 1957, o irmão Luiz Nepomuceno de Souza, então chefe da estação ferroviária de Brumado, trouxe em março de 1958, a família para aqui residir. Geraldo estudou o primário na escola estadual do Bairro São Félix e depois deu prosseguimento aos estudos no colégio General Nelson de Mello até a 8ª série e cursou no Colégio Estadual de Brumado – CEB o 1º ano básico.

Trabalhou em diversas empresas: Construtora M. Teixeira Ltda. – COMTEL como auxiliar de topografia no período de 26/10/67 a 11/03/68; MONTREAL – Montagens e Representação Industrial como auxiliar administrativo de 27/03/1968 a 25/02/1971; Magnesita S.A. como auxiliar de escritório de 04/03/1971 até 14/04/1971; Vitor Transportes Ltda., como auxiliar de escritório de 15/04/1971 até 25/04/1974; BRUMAUTO – Brumado Automóveis Ltda., como Consultor Técnico de 01/10/1975 até 31/05/1976; Magnesita S.A., como escriturário de 22/07/1976 até 10/01/ 1979. ESSEN – Sociedade de Soldas S/A (sede em São Paulo) como vendedor de 20/07/1981 até 01/09/1981. Em seguida abriu a Emplacadora de Veículos Nepomuceno Ltda., onde prestava serviços concernentes. Motorista conceituado e experiente, portador da Carteira Nacional de Habilitação categoria “D”, fazia viagens para terceiros quando solicitado.

Casou-se em 12/06/1971 com Celina Moreira da Silva, nascida em Maracás/BA, filha de Ramiro Moreira de Carvalho e de Hercília da Silva Costa. O casamento religioso foi realizado na Igreja Matriz de Brumado, celebrado pelo Monsenhor Antonio da Silveira Fagundes com efeito civil. Foram testemunhas:  José Nepomuceno de Souza, Lucimar Nepomuceno (esposa de José), Luís Nepomuceno de Souza, Terezinha Marques de Souza. E após o matrimônio passou a assinar Celina Moreira de Nepomuceno. Dessa união nasceram os seguintes filhos: Valeska Moreira Nepomuceno de Souza, Rihana Moreira Nepomuceno de Souza (1974), João Nepomuceno de Souza Neto (1980) e Villena Moreira de Nepomuceno de Souza (1983).

Em 13 de janeiro de 1981, adquiriu o título de sócio proprietário do Clube Social, Cultural e Recreativo de Brumado, fundado em 13/05/1972, proporcionando para si e a família mais um espaço de lazer e entretenimento.

Com a morte de Geraldo de Souza Nepomuceno em 13/03/1985, vítima de acidente automobilístico conforme noticiado em jornal que registrou a ocorrência: “acidente ocorrido na BR-324, quilômetro 99, Geraldo Nepomuceno de Souza de 39 anos de idade, capotou o veículo que dirigia vindo a falecer”.

 Deixou pensão para a viúva Celina Moreira de Nepomuceno. Os restos mortais estão enterrados no cemitério municipal Senhor do Bonfim. Foi inventariante a viúva Celina Moreira de Nepomuceno

 Teve uma família harmoniosa, dedicou-se aos seus,  com benevolência e cordialidade, foi prestativo e solidário, este foi o depoimento da supérstite Celina Moreira de Nepomuceno que lamentou a sua morte de forma trágica e inesperada em acidente, no retorno de uma viagem à Capital do Estado, quando fora a serviço, prestar  solidariedade a uma pessoa enferma.

 Geraldo Nepomuceno de Souza era uma pessoa muito querida da sociedade brumadense, gozava de prestígio e consideração da população pelo sentimento de ser útil a quem o procurasse, prova disso foi a grande quantidade de pessoas que participaram em cortejo no seu enterro, confirmando o seu prestígio. Não media esforços para servir as pessoas, sempre se colocando à disposição do solicitante, a qualquer hora e momento. Os amigos solidários se cotizaram e compraram uma casa para a família (esposa e filhas).

Pelo seu passamento, recebeu homenagem, através do Rotary Club de Brumado, prestada por José Roberto Datoli Nery que afirmou no artigo UM EXEMPLO INESQUECÍVEL, entre outras expressões de solidariedade disse:  “Perdê-lo, portanto, fez-nos muito mal. Acreditamos, contudo, que o seu exemplo de desprendimento e capacidade de servir ficará para sempre em nossa memória, ajudando-nos a sermos melhores”.

 Em 19 de agosto de 1986 por indicação do vereador Evaldino Pereira de Souza, recebeu da Câmara de Vereadores de Brumado, homenagem conforme Decreto número 406/86 com a denominação de um logradouro no Bairro Nobre, com o seu nome.

Os dados para a execução desta biografia foram fornecidos por Celina Moreira de Nepomuceno (esposa), a quem agradecemos a gentileza do atendimento e das informações.

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres é comerciante aposentado, membro fundador da Academia de Letras e Artes de Brumado, membro do Conselho da Cidadania de Brumado, ex-membro do PMDB e PTB e membro do Conselho Editorial do Jornal do Sudoeste.
Categorias

Deixe seu comentário