Gigante imobiliária dos EUA começa a aceitar criptomoedas como método de pagamento

Uma das maiores empresas imobiliárias que existem nos Estados Unidos, mais especificamente em Nova York, a Magnum Real Estate Group, começou recentemente a aceitar, como forma de pagamento, o Bitcoin. No momento, a criptomoeda está sendo recebida como forma de pagamento em três lojas norte-americanas, sendo que elas estão localizadas em Manhattan, e cada uma custa quase 30 milhões de dólares.

 

Segundo alguns relatórios internacionais, quem vai processar totalmente essas transações utilizando o Bitcoin é um provedor de serviços para pagamento com criptomoedas, chamado Bitpay.

 

O sócio-gerente da empresa, inclusive, destacou que a companhia tem bastante experiência com ativos do setor digital, já que em outros momentos vendeu alguns apartamentos utilizando apenas essas moedas como forma de pagamento.

 

Ainda, eles explicaram que isso abre portas para potenciais compradores de qualquer lugar do mundo, seja da China, de qualquer país da Europa, ou até mesmo da África, já que qualquer pessoa vai poder utilizar o Bitcoin para comprar esses imóveis.

 

Se qualquer pessoa utilizar Bitcoin para comprar qualquer um desses imóveis, o negócio vai entrar para a história como a transação mais cara dentro do setor imobiliário feita com criptomoedas.

 

O atual recorde de setor pertence a transação feita em uma cobertura de luxo, que fica em Miami Beach. O recorde foi feito em 2021, quando um comprador anônimo pagou mais de 22,5 milhões em criptomoedas para conseguir adquirir esse apartamento à beira-mar.

Bitcoin: cada vez mais presente no mercado

 

2021 foi um ano surpreendente para o Bitcoin e para o investidor, já que a moeda batendo valores próximos a $50.000. Por conta disso, diversas empresas estão de olho na movimentação desse ativo, e cada vez mais companhias aceitam as criptomoedas, não apenas o Bitcoin, como método de pagamento para as transações que são realizadas.

 

Esse tipo de ativo digital oferece muito mais tranquilidade para quem quer investir no setor, até porque, através dele existe a possibilidade de um ganho muito mais elevado. Por exemplo, as companhias que estão aceitando pagamentos como o Bitcoin, fazem uso da volatilidade dessa moeda para lucrar ainda mais com os imóveis que estão sendo vendidos.

 

Digamos que o Bitcoin esteja valendo $50.000 no dia da transação, e no dia seguinte, ele sofra um aumento de 25%, algo que não é tão impossível quanto parece. Nessa situação, a empresa que recebeu a criptomoeda como método de pagamento acabou de lucrar 25% a mais do que ela teria lucrado com uma venda tradicional. Para saber mais sobre a volatilidade de criptomoedas e começar a negociar, você pode visitar Bitcoin Loophole.

 

É por conta disso que muitas empresas estão voltando sua atenção totalmente para o setor de criptoativos e também de blockchain. E além de apostar nas criptomoedas, essas empresas também vão começar a apostar pesado na tecnologia de cadeia de blocos, para otimizar os seus serviços e também conseguir ter resultados muito mais atrativos.

Quando esse tipo de pagamento vai chegar ao Brasil?

 

No Brasil as conversas em relação ao setor de criptoativos estão bem lentas, e da mesma forma que aconteceu com o setor de apostas online, provavelmente ainda vamos ter que esperar bastante tempo até que uma regulamentação aconteça, o que vai fazer com que as empresas se sintam muito mais confortáveis em oferecer esse tipo de pagamento.

 

Entretanto, dependendo da interpretação do governo com relação a esse setor, pode-se inclusive seguir o mesmo caminho que a Turquia e a China estão seguindo, que vai contra a presença de criptomoedas dentro do país. Inclusive, a China está até mesmo prendendo pessoas que estão minerando criptomoedas dentro do país.

 

Felizmente, tudo indica que o governo brasileiro vai ser receptivo com relação a esse tipo de ativo, o único problema é que ainda não existe uma definição para ele, não se sabe se trata-se de um valor mobiliário, ou se esse tipo de investimento vai se encaixar em algum outro rol interpretativo.

 

Enquanto isso não acontece, o setor das criptos no Brasil sofre pouquíssima influência do governo, o que é algo muito positivo para quem quer lucrar com esse tipo de moeda. O problema é que você ainda não pode utilizá-la como forma de pagamento, e pouquíssimas empresas brasileiras estão mostrando real interesse em aceitar esse tipo de pagamento.

 

 

 

Jornal do Sudoeste

Materias Recentes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,