II Seminário virtual de Formação em Extensão Rural é realizado na Feira Baiana da Agricultura Familiar

Por Ascom/ Car Bahia

 

A Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Coordenação Executiva de Pesquisa, Inovação e Extensão Tecnológica (Cepex), em parceria com a Rede Baiana de Pesquisa, Ensino e Extensão em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural Sustentável, promoveu um diversificado debate, nesta sexta-feira (11), com o II Seminário Estadual de Formação em Extensão Rural e Universitária.

A ação aconteceu no formato virtual, no site www.feiradaagriculturafamiliar.com, durante a 11ª edição da Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, e contou com a participação de agricultores e agricultoras familiares, povos e comunidades tradicionais, técnicos extensionistas rurais e universitários, pesquisadores, estudantes das ciências agrárias e afins, técnicos da SDR, que atuam nos Serviços Territoriais de Apoio à Agricultura Familiar (SETAF), e Escolas Família Agrícola (EFA).

“No seminário, tivemos a oportunidade de aprofundar as discussões sobre o ensino da extensão rural na Bahia, avaliando a evolução da agricultura familiar, com sensibilidade às mudanças que vêm ocorrendo, seja da agricultura convencional, ou de assentados de reforma agrária e todos os povos e comunidades tradicionais, pois é importante essa avaliação em conjunto, para saber se os cursos estão se adequando à realidade como a do estado da Bahia, que possui o maior número de agricultores familiares do país, com diversidade de povos e etnias. Por isso, precisamos de profissionais melhor preparados, para lidar com a agricultura familiar e as políticas públicas voltadas para esse segmento”, destacou o coordenador da Cepex, José Tosato.

“É preciso reafirmar a importância da extensão rural, da extensão universitária, mas numa perspectiva autônoma, emancipatória e inclusiva”, destacou Vívian Libório, da Federação dos Trabalhadores Rurais na Agricultura Familiar (Fetraf).

A professora Manoelita Brito, da Secretaria de Educação (SEC), falou dos principais desafios da Educação neste período e destacou: A Educação está se reinventando e tem muita expectativa de que a gente tem muito a construir juntos, inclusive iniciamos a produção de um material pedagógico, trazendo a agroecologia, e o debate sobre o ensino médio sob a perspectiva de um caderno específico, para tratar a questão da educação do campo e como fazer os recortes que de fato tragam uma perspectiva curricular mais contextualizada”.

O seminário, que se debruçou sobre as oportunidades proporcionadas pelo processo de curricularização da extensão universitária, e sua interface com a extensão rural, teve entre os objetivos consolidar o diálogo que vem se constituindo por meio das articulações da Rede Baiana de Pesquisa, Extensão e Inovação em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural, além de ser um espaço de discussão sobre o processo de curricularização da extensão nos cursos de ciências agrárias e afins, com enfoque no tema da agricultura familiar.

Durante o evento foi debatido ainda sobre experiências inovadoras, estímulo à pesquisa no ensino e na prática de extensão rural; e sobre o aprimoramento das matrizes curriculares e conteúdo, à luz das identidades culturais dos agricultores familiares e das políticas públicas específicas.

Participaram também da abertura do evento a titular da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), Célia Watanabe, do superintendente da Agricultura Familiar (Suaf), Vinícios Videira, do reitor da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), Fábio Josué Souza dos Santos e José Bites de Carvalho, reitor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

 

Foto de Capa: Divulgação.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,