INMET alerta para o risco de chuvas volumosas pelo país

Risco para novos transtornos aumenta com chuvas intensas principalmente nas regiões Sudeste e Sul

Foto de capa: Landara Lima/Brasil 61

A previsão para os próximos dias é de muita chuva principalmente para as regiões Sudeste e Sul, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A presença de áreas de instabilidade, com o ar quente e úmido no Brasil, e a circulação de baixa pressão contribuem para a formação de muitas nuvens carregadas sobre o país. Esses fenômenos acontecem principalmente no fim da primavera e durante o período do verão.

De acordo com o meteorologista do Inmet, Mamedes Melo Júnior, a circulação ciclônica nos níveis médios da atmosfera está causando as chuvas volumosas. “Esses fenômenos estão levando essas chuvas com grandes volumes nas áreas do Paraná, parte de São Paulo e até mesmo Santa Catarina. E devem perdurar pelo menos até nesta quinta-feira , talvez até o final de semana nessas áreas. Além dele, na região Sul ainda temos uma circulação forte dos ventos do oceano, levando bastante umidade, o que contribui para fortalecer a nebulosidade e essa chuva continua na região.”

De acordo com o Inmet, há risco de alagamentos, deslizamentos de encostas e transbordamentos de rios nas áreas. A Defesa Civil alerta para os cuidados em relação às medidas de proteção. “Em caso de tempestade, caso o cidadão esteja ao ar livre, ele deverá sempre procurar um abrigo seguro, longe de árvores, de antenas. Evitar para quem está em casa, o uso do eletrodoméstico, do telefone e, sobretudo, em hipótese alguma, usar o aparelho celular plugado à tomada, pois  corre risco de choque elétrico. Também, caso esteja conduzindo um veículo, o cidadão deverá procurar um local elevado, evitando assim a enxurrada”, explica o secretário de Estado da Defesa Civil (Sedec) do Piauí, José Augusto Nunes.

Em virtude das fortes chuvas, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) está acompanhando e monitorando as rodovias concedidas, com o propósito de garantir a segurança dos usuários e a fluidez do tráfego.

Segundo a ANTT, equipes de fiscalização estão em alerta e apoiando o trabalho das concessionárias e dos órgãos envolvidos. “Constantemente as concessionárias monitoram todo o trecho concedido por meio de câmeras de CFTV espalhadas ao longo do sistema. Essas câmeras são centralizadas em centros de controle operacional de cada uma das concessionárias e todos eles são interligados ao centro nacional de supervisão operacional da agência. Além disso, todas as concessionárias, mantêm equipes de inspeção nas rodovias”, esclarece o superintendente de Infraestrutura Rodoviária da ANTT, Roger da Silva Pegas.

O superintendente acrescenta ainda que as orientações aos motoristas podem ser acompanhadas nos portais e perfis oficiais nas redes sociais das concessionárias e ANTT. “Os motoristas são orientados em relação a qualquer evento extraordinário, através de painéis de mensagem variável dispostos ao longo dos trechos de rodovia e principalmente nas praças de pedágio. Portanto, a qualquer momento em que for verificada alguma chuva forte, uma interrupção, ou algo que possa impactar na fluidez de tráfego, as mensagens são inseridas nos painéis existentes das concessionárias. Essas informações também podem ser encontradas dentro do portal da ANTT, onde é possível verificar as alterações existentes no trecho rodoviário e possíveis rotas alternativas. Uma alternativa também são as redes sociais das concessionárias.”

Próximos 15 dias

Segundo o INMET, a previsão para as próximas duas semanas é de bastante umidade pelas áreas central e norte do país. A irregularidade nas chuvas é causada principalmente pelo fenômeno La Niña, que modifica toda a circulação geral da atmosfera.

“Há uma previsão para o mês dezembro de que essa chuva continue com bons volumes, especialmente na região Norte e na parte central do Brasil. Vamos continuar tendo chuvas parecidas com as de novembro, em menos quantidade do que em novembro, mas que ainda indica boas chuvas neste período de dezembro tanto no Goiás quanto na parte da região sudeste”, informa o meteorologista Mamedes Melo.

De acordo com o INMET, para a região Sul do Brasil, pode haver ausência de chuvas no Rio Grande do Sul, mas não está descartada a ocorrência de temporais ao longo do mês de dezembro, já no fim da primavera. “Esse tempo mais severo pode acontecer, ele pode vir ainda com aquele pacote fechado em algumas áreas do Brasil: com queda de granizo, rajadas de vento, descarga elétrica, isso não está descartado que possa vir a acontecer ao longo de todo o mês de dezembro, e por que não dizer, ao longo de todo o período do verão”, observa o meteorologista.

O que fazer em situações de alerta

Se a população identificar um risco potencial de deslizamento, a orientação é procurar a Defesa Civil pelo telefone 199 ou pelas comissões de Defesa Civil municipais. Para receber alertas pelo Whatsapp, é necessário se cadastrar pelo número (61) 2034-4611 e, em seguida, interagir com o chatbot (robô de atendimento). A Defesa Civil Nacional orienta também os moradores das regiões de risco a se inscreverem nos serviços de alerta, enviando um SMS com o CEP do local onde moram ou do local em questão, para o número 40199.

Foto de capa: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,