Investir no próprio negócio é o principal motivo de pedidos de empréstimo no Nordeste, aponta pesquisa da Sim

Levantamento realizado pela fintech do Grupo Santander ouviu 28 mil pessoas no último bimestre em todo o Brasil

Por: kauê diniz

Novembro de 2022 – NOTA DE IMPRENSA

A Sim, fintech do Grupo Santander, divulgou o Índice Sim, levantamento que mostra como os clientes pretendem utilizar o crédito tomado no último bimestre. A pesquisa ouviu quase 28 mil pessoas em todo o País, e o nível de confiança é de 95%. Mais de um terço (35%) dos consumidores do Nordeste optou por utilizar o crédito para “investir em um negócio já existente”.

O estudo também revelou que a intenção do uso do crédito é diferente nas regiões do País. Ao contrário do Norte e Nordeste, os tomadores do Sudeste, Sul e Centro-Oeste usarão o empréstimo para pagar dívidas. “É a segunda vez consecutiva que as intenções do Índice Sim apresentam esses resultados. Temos visto procuras por crédito crescentes de pequenos negócios para manter as contas em dia, ter um fluxo de caixa e até comprar matéria-prima”, explica Márcio Giovannini, CEO da Sim.

Ainda na linha de fomentar o empreendedorismo, os clientes da Sim no Nordeste foram um dos que mais, percentualmente, tomaram crédito no Brasil para investir na abertura de um novo negócio, com 8% dos pesquisados, abaixo apenas do Norte, com 9%. Nas demais regiões, esses números ficaram em: Centro-Oeste, 6%; Sudeste, 4%; e Sul, 4%.

Índice Sim nacional

Segundo o levantamento da fintech do Grupo Santander, 33% dos entrevistados em todo o País vão utilizar o crédito para sair do vermelho. Em seguida, com 24%, os clientes disseram investir em um negócio já existente, 18% utilizarão o montante levantado para outros fins e 8% irão direcionar o recurso para reformar um imóvel. “A pesquisa retrata o cenário de um endividamento maior dos brasileiros, mas, por outro lado, mostra um grande empenho da população em quitar as suas dívidas. Um ponto que chama atenção é o fato de as pessoas estarem investindo em negócios próprios, ou seja, existe um movimento de empreender com a retomada da economia. Houve um aumento de quatro pontos desde a última pesquisa, realizada no primeiro semestre deste ano”, diz Giovannini.

Quando segmentado por gênero, o estudo aponta que 35% das mulheres pretendem usar o crédito para pagar dívidas, três pontos percentuais a mais do que os homens. No quesito investir em um negócio existente, o público masculino se destaca, com 26%, contra 23% do feminino. Já 5% de ambos os sexos vão utilizar o empréstimo para empreender ou para aplicar em outros fins.

“O crédito, se consumido de forma planejada, pode ajudar as pessoas a alcançarem sonhos, seja a casa própria, criar uma empresa, fazer uma viagem ou até mesmo adquirir um bem. No caso da quitação de dívidas, é aconselhável recorrer ao empréstimo para trocar um débito mais caro por um mais barato, e sempre optar por linhas que tenham parcelas que caibam no bolso. Nunca é prudente solicitar um crédito sem necessidade específica”, explica Giovannini.

As principais motivações dos clientes do Nordeste:

Investir em um negócio já existente

35%

Pagar dívidas

24%

Outros

16%

Reformar imóvel

10%

Abrir novo negócio

8%

Foto de Capa: Divulgação

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,