Liberalismo sem restrição

O formato do estado não é estático e nem definitivo. Sua dinâmica é bípede direcionada em duas vertentes, atrativamente, próximas. Sua linha linear, na história, tem aplicabilidade diversa.
No sistema liberal, onde a liberdade individual é o maior patrimônio, habita o voluntarismo isolado do homem, como instrumento eficaz de edificação de riquezas.
Neste sistema, nasce e desenvolve o talento individual, na sua substancia natural, levando o individuo há um modelo econômico heterogêneo e hibrido, de uma higidez cristalina, proveniente da contundente diferenciação de talentos individuais.
No campo histórico os EUA foi o país que melhor aplicou os princípios liberais. A abstração de conceitos típicos dos dogmas liberais, teve uma vida saudável e longa, no solo americano.
O liberalismo puro, autenticamente sem fronteiras, para o habitat de evolução permanente, alastrou com o sucesso do nascimento, até os dias de hoje. Essa sequencia histórica foi frutuosa, com excepcionalidade, americana.
Com o tempo a amplitude do liberalismo começou haver restrição substanciosa, sendo o a mais importante, a de KEYNES na década de trinta.
A fragilidade social, sedimenta no núcleo do liberalismo, conceitos sacrossantos e inverídicos de distorcer suas verdades levou a sua restrição acentuada.
O liberalismo, com a liberdade de mercado, é o sustentáculo menos imperfeito da democratização da liberdade, porém é na liberdade, que cria um elo progressista entre o homem e a sociedade.
Horizontalidade de resultados no sistema liberal é fantasmagórico, porém a verticalidade com concentração de capital, é a maneira mais inteligente, dentro do contexto humano, de evoluir conjuntamente, apesar de assimetricamente.
Com o liberalismo, sem restrição e a desconcentração do poder, podemos implantar, abundantemente, progresso econômico significativamente, apesar sua diferenças.
A promiscuidade, entre liberalismo puro e desconcentração de governo, nos levará a contemporaneidade há um gigantismo e fértil progresso diferenciado, porém para todos.
Terminando o artigo completo para reformulação estatal, ideal também a descentralização administrativa.
Com esses três vetores: o liberalismo puro, a desconcentração governamental e descentralização administrativa, poderemos entrar em uma nova orbita, ou seja, numa nova era de progressos econômicos substanciosos.

Juarez Alvarenga

Juarez Alvarenga

Advogado e Escritor
Categorias

Deixe seu comentário