Magia da leitura

Passeio sempre pelo blog da minha amiga e conterrânea professora Mariza Schiochet – professora com P maiúsculo – que trabalhou em sala de aula meus livros “Flecha Dourada” – infantil, “Nação Poesia” – poemas e “Aphrodite e as Cerejeiras Japonesas” –crônicas. Reputo de maior importância o trabalho da professora, não por ter estudado a minha obra com seus alunos, até porque ela trabalha com livros de outros autores, também, mas sim por que ela faz uma coisa valiosíssima para todos nós, tanto para o escritor quanto para o leitor em formação: ela semeia o gosto pela leitura, ela incentiva o hábito de ler, assim como a professora Edna, de Minas e outras pessoas dedicadas e abnegadas que sei que os há na nossa educação.

E ela tem sucesso na sua empreitada. Acho que não vi, ainda, definição melhor de poesia do que a da Bárbara, que a professora colheu nos trabalhos sobre “Nação Poesia” e colou no seu blog “Mar e Brisa do Saber”, em http://marebrisadosaber.blogspot.com/ , e eu tomo a liberdade de reproduzir: "Poesia é tudo que é belo, onde existe beleza: no verso, na prosa, nas cores, nas árvores, na bondade, na terra, no amor; tudo isso é poesia". Não é completo? E há muito mais lá no blog citado acima. Há trechos dos trabalhos, cartinhas dos alunos ao meu personagem Flecha Dourada, comentários sobre as obras, fotos, etc.

Esses estudantes aplicados e receptivos e essa professora habilidosa e sábia são maravilhosos. Minha obra, pelo menos para mim, tornou-se mais importante, depois de ser lida e estudada por essa gente fabulosa.
Cada vez mais fico impressionado com os alunos da professora Mariza. Eles leram, interpretaram, fizeram atividades que eu gostaria até de incluir numa próxima edição de Flecha Dourada, pois valoriza muito a obra. E pelos comentários nos trabalhos com que me presentearam e aqueles postados, vejo que eles têm consciência do mal que fizemos ao irmão índio, pois não gostaram que o final da história tivesse de ser o que foi. Eles sabem que apesar de não gostarmos, é o que acontece na realidade.

Na terceira parte do trabalho da professora com seus alunos, ela mostrou-me uma pequena do que os alunos fizeram com o livro “Aphrodite e as Cerejeiras…”, fotos, o visual caprichado dos trabalhos, vídeos com um teatrinho de fantoches sobre este humilde escriba e até uma música, feita e cantada pelos alunos. Não é excepcional? É muita dedicação e talento da professora Mariza no comando dessa juventude estudiosa e promissora que está com ela. Eu nem esperava que meus livros fossem lidos por tantos jovens – acho que foram mais de cem -, a julgar apenas pelas cartinhas dos alunos endereçadas ao meu personagem Flecha Dourada.

Fico muito honrado de ter participado, com meus livros, de um projeto tão rico e tão eficiente como esse. O objetivo de fomentar a leitura e divulgar a literatura da terra foi plenamente alcançado. 

Grato, professora Mariza, muito grato por podermos ver a Literatura Catarinense ter espaço no conteúdo programático de professores de primeiro grau como a senhora. Obrigado pela educação de primeiríssima qualidade que a professora mostra que é possível praticar.

Júlio César Cardoso

Júlio César Cardoso

Bacharel em Direito e servidor federal aposentado. Balneário Camboriú-Santa Catarina.
Categorias