Maria do Carmo Pinchemel Cotrim Carmita

 

11/11/1926

HÉLIO COTRIM LEITE

N.05/04/1919-F. 05/07/1982

 

Maria do Carmo Pinchemel Cotrim – Carmita, nasceu na fazenda Gado Bravo, no município de Livramento do Brumado que teve o nome mudado para a atual Livramento de Nossa Senhora. Pela lei estadual nº 2325, de 14-05-1996, o município de Livramento do Brumado passou a denominar-se Livramento de Nossa Senhora.

 Filha de José Pinchemel Rodrigues e de Leonor Lima Pinchemel Rodrigues. Aos oito anos de idade mudou-se para a Fazenda Saco (este nome corresponde a formato do local).

 Avós paternos: José Severino Rodrigues, Capitãozinho, (fazendeiro) e a professora Elisa Wamierbom Pinchemel. Avós maternos: João Pedro de |Lima e Constança dos Santos Lima.

Irmãos: Almir Pinchemel Rodrigues nasceu em 6 de fevereiro de 1920 em Brumado; Adailton nascido em 1921; Terezinha Pinchemel Amorim nasceu   em 1929; Elizabeth Pinchemel Nascimento nasceu em 1930; Iracy Lima Pinchemel de Carvalho nasceu em 1932.

Carmita teve uma infância feliz ao lado dos pais e irmãos nas fazendas Gado Bravo e Saco, gostava de passarinhar com os manos, brincava com bonecas, cantava roda, pulava corda e nadava no Rio Brumado perto de sua casa, entre outros entretinimentos.

LEMBRANÇAS DA INFÂNCIA:

Em Gado Bravo, fazenda de meus pais, distrito de Livramento de Nossa Senhora, era uma casa humilde, feita de abobes, com dois quartos e duas salas grandes, cozinha com dispensa, fogão à lenha, terreiro dos fundos de amplo espaço.  Tinha uma roda de fazer farinha, e também uma lagoa, essa descrição lembra   a minha felicidade vivida na   infância.

Em 1926, o ano que nasceu, Todos temiam os revoltosos (combatentes) da Coluna Prestes, com o intuito de derrubar o presidente Arthur Bernardes. Aterrorizavam as populações das cidades e vilas.  O pai tinha uma loja de Tecidos em Livramento. Ele levou toda a mercadoria para a fazenda imaginando que os revoltosos não passariam por lá. A mãe se refugiou num monte da fazenda com receio dos rebeldes e o pai ficou na casa.

Na fazenda eles levaram as peças de tecidos, distribuíram uma parte na redondeza e desenrolaram algumas peças na estrada. Roubaram todos animais que estava na manga. Um ato de indisciplina e perversidade.

Na adolescência foi morar em Caetité onde concluiu o primário e formou-se na Escola Normal de Caetité no ano de 1947. Depois de formada foi residir em Brumado e ensinar no distrito de Correias/Brumado.

Em 1947 com 21 anos de idade foi noiva de Jose Cardoso Neves, Zeca, que faleceu de tifo, e ela só veio saber, oito dias, depois fato ocorrido, o que lhe causou depressão afetiva.

VIDA PROFISSIONAL:

“Em 1947 comecei a ensinar dando aulas particulares para adultos até junho. Em 4 de agosto fui contratada pelo Estado e assumi a cadeira de professora primária no distrito de Correias/Brumado, embora conste na Secretaria de Educação como se fosse no dia 17, onde lecionei até novembro, final das férias. No ano seguinte fui transferida para o povoado de Anguá, município de Caetité. Por concurso em 1949 fui efetivada no cargo e lecionei por dois anos e meio”. T

Com a inauguração do grupo escolar Getúlio Vargas, sede de Brumado, fui transferida para esse educandário em junho de 1950 onde fui a primeira Diretora administrativa.  Governo Otávio Mangabeira e Secretário de Educação Anísio Teixeira sendo prefeito Municipal Manoel Joaquim de Carvalho.

 No dia 25 de julho de 1951, casou-se com Hélio Cotrim Leite na Igreja Nossa Senhora Santana na cidade de Caetité e passou a assinar Maria do Carmo Pinchemel Cotrim. Hélio Cotrim, funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, nasceu em 05/04/1919 e faleceu em 05/07/1982 em Salvador/BA. Um relacionamento que durou 31 anos de convivência harmoniosa.

 Dessa união teve os seguintes filhos: Helma, Katia, Alba e Elba Pinchemel.

Helma, nasceu em Brumado, no ano de 1952, formou-se em 1976 pela FMB – Faculdade de Medicina da Bahia e é também professora da Universidade Federal da Bahia. É médica hepatologista, e portadora de diversos cursos da área médica. Casou-se com Omar Domingos Chaves e tiveram as filhas:  Flávia Cotrim Chaves, casada com Mário Márcio Maia Raposo e tiveram as filha Joana Chaves Raposo e, Mariana Cotrim chaves, casada com André Sigiliano Paradela e tiveram dois filhos: Guilherme Cotrim Paradela e Alice Cotrim Paradela.

Katia, nasceu em Brumado, no ano de 1953, é dentista, especialista em ortodontia, formou-se em 1974 e se casou com Manoel dos Santos Filho e tiveram os seguintes filhos: Felipe Pinchemel Cotrim dos Santos que se casou com Elisa Ribeiro Pinchemel (não tiveram filhos), e Bernardo Pinchemel Cotrim dos Santos.

Alba, nasceu em Brumado, no ano de 1954, é odontóloga especialista em cirurgia buco facial e periodontia, formou-se em 12/11/1979, não se casou.

Elba Pinchemel Cotrim nasceu em Vitória da Conquista, no ano de 1963, é arquiteta Urbanista, formou-se em 1984; se casou com Gabriel Florentino Fonseca Júnior e não tiveram filhos.

 “Em casa, eu dava curso preparatório para os exames de admissão ao ginásio.  Em 1958 com a inauguração do Ginásio General Nelson de Melo, eu fui a primeira a dar aula de educação física. (A minha filha Helma cursou o primeiro ano neste ginásio)”.

“Trabalhei muito para formar minhas filhas, elas estudaram em colégios públicos e na Universidade Federal (UFBA), e nunca ficaram em recuperação, o que muito nos ajudou financeiramente. Hoje, pelos esforços empreendidos, são profissionais competentes que muito me orgulha”.

“Depois que fiquei viúva, viajei pelo Brasil do Amazonas ao Rio Grande do Sul, visitei as capitais e   algumas cidade do interior. Visitei também os países: Uruguai, Argentina, Paraguai, Chile e Califórnia (EUA)”.

Mourou em Brumado de 1947 até 1964, quando mudou-se para a capital, Salvador/BA e residiram nos bairros:  Rio Vermelho e depois na Pituba, onde mora até o momento (2021). Transferida para a Secretaria de Educação (salvador) e assumiu o Conselho de Educação do Estado até se aposentar.

No ano de 1996 reencontrou seu primeiro namorado, Dalmar Geraldo Guimarães Lacerda e passaram a conviver juntos até a morte dele no dia 25/11/2005 em Salvador.

 “Em 2006 viajei para a Europa, visitei diversos países:  Portugal, França, Alemanha, República Theca, Áustria e Itália e algumas cidades, em companhia de Alba, Elba e Gabriel (filhas e genro). Realizei o sonho de ver o Papa no Vaticano e rezar no Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Portugal e, na Basílica de Sacré Coeur, em Paris/França”

Maria do Carmo Pinchemel Cotrim, Carmita, aposentou-se em 1980 com 33 anos de serviço público.

  Por ser de idade provecta vive sob os cuidados das filhas, e das cuidadoras. Recebe em harmonia o carinho de todos os familiares: genro, netos e bisnetos. Atualmente, vive entre Porto de Sauipe, casa da sua filha Alba, e Salvador.

 Hélio Cotrim Leite foi homenageado post mortem pelo prefeito Edmundo Pereira Santos, nominando um logradouro público, a Praça Hélio Cotrim Leite no centro da cidade. Lei 854 de 27/05/1985.

Os dados para a confecção dessa biografia foram fornecidos por Maria do Carmo Pinchemel Cotrim, transcrito por Monica Pinchemel de Carvalho (sobrinha) com a colaboração e participação de Liz Dantas, às quais agradecemos.

Fui autorizada por suas filhas, para que se faça pública essa Biografia.

Muitíssimo obrigada

Liz Dantas.

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres é comerciante aposentado, membro fundador da Academia de Letras e Artes de Brumado, membro do Conselho da Cidadania de Brumado, ex-membro do PMDB e PTB e membro do Conselho Editorial do Jornal do Sudoeste.
Categorias

Deixe seu comentário