Municípios da Bahia começam a receber lavatórios de mãos para prevenção da Covid-19

Ação faz parte da iniciativa do UNICEF, em parceria com a AVSI Brasil, e abrange 39 cidades de 3 estados: Pernambuco, Ceará e Bahia, impactando 300 escolas e 69 unidades básicas de saúde (UBS)

Por: Marcelo Moreira

Escolas municipais de cinco municípios da Bahia começam a receber, nesta semana, lavatórios de mãos para a prevenção da Covid-19. A ação faz parte de uma das fases do projeto Resposta à Covid-19, realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em parceria com a AVSI Brasil, que apoia as prefeituras destes municípios para um retorno seguro às aulas. Ao todo, serão entregues 12 lavatórios, distribuídos entre os municípios de Aurelino Leal (1), Caatiba (3), Jequié (3), Simões Filho (2) e Wenceslau Guimarães (3).

De acordo com o estudo “Cenário da Exclusão Escolar no Brasil – um alerta sobre os impactos da pandemia da Covid-19 na Educação”, publicado em abril pelo UNICEF, em parceria com o Cenpec Educação, com a pandemia da Covid-19, o país corre o risco de regredir duas décadas no acesso de crianças e adolescentes à escola. Em novembro de 2020, mais de 5 milhões de meninas e meninos não tiveram acesso à educação no Brasil – número semelhante ao que o País tinha no início dos anos 2000. Desses, mais de 40% eram crianças de 6 a 10 anos de idade, etapa em que a escolarização estava praticamente universalizada antes da Covid-19.

Para Dennis Larsen, coordenador do UNICEF para o Semiárido, a instituição tem buscado contribuir para a redução da transmissão do coronavírus e para a adaptação e continuidade segura dos serviços essenciais para meninas e meninos. “Estar junto das gestões municipais, das equipes técnicas e das famílias, entender as realidades e contribuir para uma reabertura segura de escolas e a continuidade de outros serviços é muito importante para reduzir o impacto na vida de crianças e adolescentes”, garante.

Segundo Vanessa Alonso, coordenadora de Comunicação para o Desenvolvimento da AVSI Brasil, o retorno seguro às aulas presenciais envolve um processo de mobilização e conscientização coletiva. “Estamos fazendo um esforço conjunto com gestores escolares, professores, pais, estudantes e lideranças comunitárias para preparar as escolas, capacitar os profissionais e conscientizar toda a comunidade escolar sobre práticas de prevenção e controle da Covid-19, de forma que possamos assegurar o direto à educação das crianças e adolescentes”.

A entrega e a instalação das estações de lavagem de mãos são fundamentais para garantir que as escolas sem água e saneamento possam ter condições de reabrir e voltar a receber meninas e meninos para aulas presenciais, o que é fundamental após tanto tempo de escolas fechadas.

O Projeto

O UNICEF e a AVSI Brasil iniciaram, em maio, um trabalho nos estados de Pernambuco, Bahia e Ceará para apoiar a gestão municipal na continuidade dos serviços essenciais às crianças e adolescentes nas áreas de saúde e educação, com foco especial em garantir um retorno seguro às escolas. Até setembro, o projeto alcançará 300 escolas e 69 unidades básicas de saúde (UBS) de 39 municípios desses estados, incluindo as capitais e cidades da região do Semiárido, com ações de informação, capacitação e engajamento de autoridades, profissionais de saúde e educação, pais, alunos e lideranças sociais. Serão distribuídos também kits de higiene e saúde (incluindo, em algumas cidades, lavadores de mãos) e materiais educativos.

Em todo o estado da Bahia, o projeto atinge 83 escolas municipais e 13 UBS em oito municípios: Aurelino Leal, Caatiba, Jequié, Uruçuca, Wenceslau Guimarães, Salvador, Simões Filho e Lauro de Freitas.

 

 

Foto de capa: Jakson Costa/Divulgação

Lavatórios móveis para

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,