NÃO MORREU NELSON MANDELA

Liberdade! Liberdade!

Foi o grito de Mandela

Mensageiro da igualdade

Que mereceu a chancela

De avançada sentinela

Na luta contra o racismo

Verdadeiro catecismo

Que seguiu na trajetória

Para forjar a história

Desse prócer do humanismo.

 

Na luta contra a apartheid

Definiu seus ideais

Em prol da fraternidade

Com os direitos iguais

Sem critérios raciais

Legalmente instituídos

Com os negros oprimidos

Dentro da mesma Nação

Em cruel segregação

Por longos anos vividos.

 

Desde cedo um ativista

Apoiou a luta armada

Sem jamais perder de vista

A mudança desejada

Na justiça praticada

À luz da desigualdade

Dentro da sociedade

Sem fugir da repressão

Que o levou à prisão

Por defender a verdade

 

Um mensageiro da paz

Entre povos e nações

Um líder que foi capaz

De superar as prisões

Sem perder as emoções

Por um futuro risonho

Ao dizer:  – eu tenho um sonho,

Ver a África do Sul unida

Em tudo desenvolvida

E livre como proponho.

As mais justas homenagens

Receberá nesta data

Contendo belas mensagens

Pelo líder democrata

Que a morte vem e arrebata

Sem se quer pedir licença

Mas, deixando viva a crença

Que norteou sua vida

Como Mandela ou Mandiba

Eternizando a presença.

 

Deixou Mandela um exemplo

De amor à humanidade

Que neste instante contemplo

Perante a fatalidade

Que o leva à eternidade

Após cumprir a missão

Contrária à segregação

Numa luta sem fronteiras

Ao tremular de Bandeiras

De universal comunhão!

 

 

 

Júlio César Cardoso

Júlio César Cardoso

Bacharel em Direito e servidor federal aposentado. Balneário Camboriú-Santa Catarina.
Categorias