Nas últimas semanas, casos de influenza A aumentaram; entenda a importância da testagem

Boletim InfoGripe, divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) alerta para o aumento recente de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) relacionados à influenza A em São Paulo

 

Por: Rodrigo Freitas/Bowler

 

Os casos de influenza A (causador da gripe), identificados na cidade de São Paulo cresceram nas últimas semanas. O último Boletim InfoGripe¹, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) apontou aumento principalmente em crianças e adolescentes. A situação acendeu um alerta, haja visto que a influenza é uma infecção viral aguda, que afeta o sistema respiratório, sendo de alta transmissibilidade e pode comprometer a saúde principalmente de idosos, gestantes, menores com idade inferior a 4 anos e imunossuprimidos.

De acordo com Daniel Rocha, diretor de Point of Care da Vyttra Diagnósticos, uma das maiores empresas brasileiras na fabricação e distribuição de equipamentos e reagentes para o mercado de diagnósticos, mesmo com acesso aos dados epidemiológicos, e tendo em vista sua importância para traçar um panorama de saúde no Brasil, não há como saber exatamente quantas pessoas estão com o vírus. “Como muitos não procuram cuidados médicos para sintomas gripais, e mesmo quando fazem, na maioria das situações não é solicitado o teste de influenza, é muito difícil saber a verdadeira quantidade de casos de gripe em qualquer época do ano”, destaca.

Segundo o executivo “o teste de influenza é uma das soluções mais assertivas para o diagnóstico. Além disso, pode ajudar no entendimento da sazonalidade do vírus e seus impactos na população”.

Quando é recomendado fazer o teste de influenza

A necessidade de um teste de influenza se resume aos sintomas apresentados, explica Daniel. Os sinais e sintomas mais comuns geralmente incluem:

  • Febre e calafrios (importante: nem todos os infectados apresentam febre)
  • Tosse
  • Dor de garganta
  • Nariz escorrendo
  • Dores musculares ou corporais
  • Dor de cabeça
  • Fadiga ou cansaço
  • Vômitos e diarreia (geralmente mais comuns em crianças)

Tipos de testes

O teste “rápido de influenza” é o mais comum e detecta a parte do vírus que estimula uma resposta imune, conhecida como antígeno. Outro tipo é o “ensaio molecular “, que detecta o material genético real do vírus da gripe. A vantagem do teste rápido é que o resultado pode ser fornecido entre 10 e 15 minutos.

Com a Covid-19 ainda circulando, testes que diferenciam o vírus pandêmico da Covid com o da influenza A têm se mostrado importantes para o direcionamento dos tratamentos, desde a diminuição do uso indiscriminado de antibióticos até a adoção de medidas de isolamento. “Na Vyttra Diagnósticos temos o Smart Test COV Ag Combo, que realiza a detecção simultânea e diferenciação de SARS COV-2 e Influenza A e B. Este é um avanço no campo de testes rápidos, já que em apenas 15 minutos é possível oferecer ao paciente um resultado com sensibilidade de 97,06%, 90,48% e 88,57%, respectivamente, para Covid-19, influenza A e influenza B”, explica Daniel.

Fonte

FIOCRUZ¹: https://portal.fiocruz.br/noticia/infogripe-alerta-para-aumento-de-casos-associados-influenza. Acesso em 28/09, às 21h18.

 

Foto de capa: Freepik

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,