Noé e o Dilúvio

Noé personagem bíblico ocupa cinco capítulos de Genesis de seis a dez:

 A corrupção do gênero humano (Gn6. 5-6); (Gn6. 8-9); Noé e sua família entram na arca (Gn7. 1-16); O dilúvio (Gn7. 17-24). Diminui as águas do dilúvio (Gn8. 1-5); Noé solta um corvo e depois uma pomba (Gn8. 6-12); Noé e sua família saem da arca (Gn8. 13-19); Noé levanta um altar (Gn8. 20-22); A aliança de Deus com Noé (Gn9. 1-19); Noé pronuncia benção e maldição (Gn9. 20-28). Descendentes dos filhos de Noé (Gn10. 1-32).

O Senhor vendo que a maldade do homem se multiplicava na terra e eram de mau coração, se arrependeu de ter feito o homem e isso lhe pesou o coração. Disse: “Farei desaparecer da face da terra o homem que criei, o animal, os répteis e as aves dos céus; porque me arrependo de havê-los feito”.

Noé foi escolhido por Deus para perpetuar a humanidade após o dilúvio e ser o fundador da genealogia semita e origem das raças do mundo.

A barca foi construída conforme as determinações de Deus: “Faze uma arca de Cipreste com compartimentos e calafetada por dentro e por fora com as seguintes dimensões trezentos côvados de comprimento; cinquenta de largura e altura de trinta côvados”; segundo a Nova Versão Internacional (NVI) o cumprimento foi de 135 metros; a largura de 22,5 metros de largura e 13,5 metros de altura.

 Na época do Dilúvio Noé tinha seiscentos anos de idade, e serviu para a sua salvação e de sua família: filhos e noras no total de sete pessoas e mais um casal de todos os animais, répteis, aves, viventes segundo a sua espécie, para se conservarem vivos, tudo foi feito conforme determinou Deus. Choveu por quarenta dias e quarenta noites e a barca flutuou por 150 dias, antes de pousar no monte Ararat/Turquia.

 Ao salvar sua família do Dilúvio Deus deu à humanidade uma nova chance, um recomeço.   A destruição do mundo por meio do Dilúvio é contada em muitas culturas de forma diferentes. Essas histórias são contadas na Bíblia em Gênesis nos capítulos de seis a dez.

Arrependido, quando parou de chover Deus estabeleceu com Noé e seus filhos uma aliança, pela qual não haveria mais dilúvio.

 Deus prometeu nunca mais destruir a terra com um Dilúvio. O Senhor disse que sempre a abençoaria com as estações do ano. Aliança de Deus com Noé foi feita conforme está escrito em (Gn 9.9).

 Noé era um homem justo e reto, íntegro, pregava a justiça, temente a Deus e de fé inabalável. Deus adorava Noé pelas suas qualidades fidedignas.

 Foi o escolhido de Deus para cumprir a Sua missão por confiança na sua obediência e nos seus atos de dignidade.

Com o Dilúvio os pecadores foram eliminados da terra. A assertiva de Deus que ordenou a Adão e Eva:  frutificai e multiplicai-vos, não mais prevaleceu, pois, nova ordem foi dada a Noé.  Hoje, podemos dizer que somos descendentes de Noé.

Noé filho de Lamec, nasceu em 2948 a.C.  na Mesopotâmia e morreu em 1998 em Ararate aos 950 anos de idade.   Sua mulher chamava-se Noémia ou Maamá. Foi pai aos 500 anos de idade e gerou os filhos Sem Cam e Jafé.  A família, incluindo as esposas dos filhos, teve o privilégio de viver no período antes do dilúvio e, depois deste, por mais trezentos e cinquenta anos.

Era um homem de caráter, integro, pregava a justiça, temente a Deus e de muita fé.  Noé era lavrador, plantava vinha, bebeu do vinho de sua produção e embriagou-se. Ficou nu dentro da tenda e, nessa condição, foi flagrado pelo filho Cam, que zombou dele e, contou para os seus irmãos. Sam e Jafé, porém, o cobriram com um manto. Noé ao saber do comportamento de Cam condenou-o pela atitude, o que gerou a ira de Noé.

Fontes de pesquisas:

 Bíblia Sagrada – Velho Testamento, Gênesis;

 Enciclopédia Bíblica;

 Enciclopédia livre Wikipédia e na Web;

Enciclopédia Encarta;

 Enciclopédia BARSA.

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres é comerciante aposentado, membro fundador da Academia de Letras e Artes de Brumado, membro do Conselho da Cidadania de Brumado, ex-membro do PMDB e PTB e membro do Conselho Editorial do Jornal do Sudoeste.
Categorias

Deixe seu comentário