NOVO TESTAMENTO

O Novo Testamento é um conjunto de 27 (vinte e sete) livros que integram a segunda parte da Bíblia, a Sagrada Escritura do cristianismo. Originalmente foi escrito em grego, após a morte de Cristo, porém segundo alguns teólogos Mateus escreveu em hebraico. Não existem documentos originais do Novo Testamento e sim cópias, cujos manuscritos mais completos remontam ao século IV, papiros ou pergaminhos.

Divisões do Novo Testamento: Evangelhos – Mateus, Marcos, Lucas e João. Atos dos apóstolos – Atos; epistolas – Romanos; 1 e 2 Coríntios; Gálatas; Efésios; Filipenses; Colossenses; 1 e 2 Timóteo; Tito; Filemon; Hebreus; Tiago; 1 e 2 Pedro; 1,2 e 3 João. Profecia – Apocalipse.

A primeira edição impressa surgiu em 1516 por iniciativa do humanista, filósofo, e teólogo holandês Erasmo de Roterdã.

A tradução em latim denominada vulgata compreende também o Velho Testamento e é atribuída a São Jerônimo (331 a 420). Difundiu-se no Oriente a partir do século IV. Vem sendo objeto de exame analítico por parte dos beneditinos, a pedido do Papa Pio XI. É considerada a Bíblia oficial da igreja católica.

A palavra Evangelho significa boa nova ou boa notícia. Faz parte  do Novo Testamento quatro evangelhos  ( Mateus – coletor de impostos, Marcos – primo de barnabé, Lucas – médico e cooperador de Paulo, e João – o amado discípulo de Jesus), os três primeiros são denominados sinóticos pela semelhança do conteúdo, apesar de serem escritos em datas e épocas diferentes;  Atos dos Apóstolos,  quinto  livro do Novo Testamento,  e segundo a tradição foi escrito por Lucas em hebraico , é fonte preciosa para divulgação e  o conhecimento histórico do cristianismo pelo mundo; 21 epístolas – cartas pessoais dos apóstolos, muitas de autoria do apóstolo Paulo (14)  e,  o Apocalipse (revelação)  último livro do Novo Testamento. É   atribuído ao apóstolo João que o elaborou ao término do reinado do imperador Domiciano (81-96 d.C.), Século I, com relação à intolerância religiosa do imperador (Não há comprovação desse fato).

 Esses quatro Evangelistas registraram o nascimento, os acontecimentos da vida, da morte, ressurreição e ascensão de Jesus Cristo.

O livro de Apocalipse é de difícil interpretação por causa dos muitos símbolos.  A profecia é mais difícil de ser interpretada do que qualquer outro livro das Escrituras. O livro de Apocalipse descreve duas hipóteses: uma história do cristianismo (visões) e outra messiânica (revelações). Fala da segunda vinda de Cristo para redimir o homem de seus pecados, após a vitória contra o anticristo (Diabo) inimigo perseguidor de Cristo e patrocinador do mal para viver-se uma nova ordem social de perfeição e felicidades e bem-estar da humanidade.

 COMENTÁRIOS:

A bíblia é a obra mais editada e traduzida do mundo. Entretanto houve uma cisma ocorrida na igreja católica feita pelo monge e teólogo alemão Martinho Lutero contra os ensinamentos da igreja católica (as indulgências) e constitui a bíblia dos protestantes, (disseminadas em várias igrejas tendo a Bíblia como referência). Traduzida para o alemão por Lutero que não aceitava a supremacia do Papa e por conta dessa posição foi excomungado do Sacro Império Romano de Nação Germânica. Entre outras reformas houve a Calvinista, Anglicanismo etc.

A Bíblia em seu conjunto visa a redenção dos homens. A Bíblia é a palavra de Deus. A primeira tradução de uma parte das Escrituras em português foi feita em 1495 por influência de da rainha Eleonor de Portugal. O primeiro Novo Testamento em português foi feito em Amsterdã em 1602. A tradução da Bíblia inteira por João Ferreira de Almeida, apareceu em 1753. Um século depois foi publicado a tradução da Bíblia inteira por Antonio Pereira de Figueiredo. A Versão Brasileira de toda a Bíblia, foi editada em 1917; a Bíblia inteira por Matos Soares em 1933.  O Novo Testamento de Humberto Rohden em 1935; a tradução por João Ferreira de Almeida revista e atualizada, em 1958.

Fontes:

Bíblia Sagrada;

Enciclopédia Bíblica de Orlando Boyer;

Dicionário de nomes, termos e conceitos Históricos de Antonio Carlos do Amaral Azevedo.

LEIAM A BÍBLIA.

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres é comerciante aposentado, membro fundador da Academia de Letras e Artes de Brumado, membro do Conselho da Cidadania de Brumado, ex-membro do PMDB e PTB e membro do Conselho Editorial do Jornal do Sudoeste.
Categorias

Deixe seu comentário