O conquistador

Num bar, um indivíduo gabola tomava uma cerveja e proseava com o proprietário contando as vantagens de suas conquistas amorosas, inclusive de mulheres casadas, e dizia que nenhuma escapava à sua lábia de conquistador.

 Apesar das suas qualidades e fama de conquistador, apaixonara-se perdidamente por uma mulher casada e como amante passou a viver o chamado triângulo amoroso com todas as suas consequências. Viveu esse fato como se fosse um segredo, mas que era do conhecimento dos bisbilhoteiros. Nessa história só o marido era inocente e o tinha como amigo.

Foi induzido pela amante a lhe presentear no dia do seu aniversário com um carro novo, como prova da sua paixão.  Amealhou todas as suas economias e deu-lhe de presente um carro ‘zero km’.

De posse do veículo a dita acompanhou o esposo que foi transferido do trabalho para outro Estado e deixou o amásio a ver navios sem nenhuma explicação.

Conclusão: A mulher agira por safadeza ou por outros interesses e o conquistador passou a não mais acreditar no amor e encarou o caso como infidelidade e traição.

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres é comerciante aposentado, membro fundador da Academia de Letras e Artes de Brumado, membro do Conselho da Cidadania de Brumado, ex-membro do PMDB e PTB e membro do Conselho Editorial do Jornal do Sudoeste.
Categorias

Deixe seu comentário