O jogador Marcinho é indiciado por duplo homicídio

O jogador Márcio Almeida de Oliveira, ou também conhecido como Marcinho, de 25 anos, é o apontado pela polícia de Rio de Janeiro como suspeitoso de ter atropelado a um casal em Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste da cidade. O acidente aconteceu o 30 de dezembro de 2020 sobre as 20:30 horas. 

Na Avenida Sernambetiba, altura 17 mil, um Mino Cooper foi contra Maria Cristina José Soares e Alexandre Silva de Lima. O homem morreu no ato e a mulher resultou muito ferida. Por sua parte, o motorista fugiu do lugar sem brindar socorro ao casal, conforme as testemunhas. Logo do acidente, o carro foi abandonado na Rua Hermes de Lima a uns 600 metros do lugar do acidente, segundo a polícia Allan Luxardo, da dependência de Recreio.

O delegado Allan Luxardo, titular 42ª DP (Recreio), afirmou que o jogador Marcinho admitiu em depoimento que dirigia o carro que atropelou um casal no Recreio dos Bandeirantes. O pai do ex-lateral do Botafogo, Sérgio de Oliveira, também foi ouvido na delegacia e confirmou que o filho conduzia o veículo no momento do acidente na última quarta-feira. O juiz Rudi Baldi Loewenkron, da 34ª Vara Criminal, acaba de aceitar a denúncia do MP do Rio de Janeiro apresentada pela promotoria contra o Lateral, que responderá por um crime de homicídio culposo na direção de veículo, agravado por ausência de prestação de socorro.

A vítima, Alexandre Silva de Lima, de 44 anos, morreu na hora e sua mulher, e a vítima Maria Cristina José Soares, de 66 anos, chegou a ser socorrida e internada, mas faleceu uma semana depois.

Marchinho dirigia o veículo de maneira imprudente e fazendo zigue-zague da via, a uma velocidade dentre 86 e 110 quilômetros por hora, quando a máxima permitida é de 70. O futebolista tinha bêbedo “ao menos cinco vasos de cerveja” num restaurante da cidade. Após a continuidade da denúncia, se enfrentará a uma pena de dois a quatro anos de prisão, que poderiam se incrementar.

O MP do Rio rejeitou o pedido da defesa do jogador para a efetivação de um Acordo de Não Persecução Penal. “Eventuais condições acordadas em ANPP não serviriam de reprimenda adequada à conduta, tampouco teriam efeitos inibitórios para a prática de novas atitudes imprudentes, de forma que o mero pagamento de quantia, seja multa e/ou indenização, mesmo com cumprimento de pena restritiva de direitos, não poderia se sobrepor ao interesse público”, diz o promotor responsável pelo caso.

Nascido o 16 de maio de 1996, Marchino realçou sua carreira juvenil nas divisões de Botafogo. Até o 2016 jogava como meio-campista ate que se transformou em lateral direito. A princípio desse ano foi promovido ao primeiro time e teve sua estreia oficial em fevereiro. Já não joga mais com Botafogo, agora é o mais novo reforço do Athletico Paranaense para a temporada 2021. Uma mudança na sua carreira que foi muito criticada. “O Athletico era tudo que eu queria. Um clube com projeto, com ambição, que quer continuar conquistando grandes coisas, figurando no mais alto nível do cenário nacional e internacional. É também um grande clube e estou muito feliz e realizado de estar aqui. Quero corresponder às expectativas”, afirmou Marcinho.

Por outro lado, o Club Athletico Paranaense se prepara para jogar contra Aucas o próximo 27 de maio na copa Sul-Americana. Mantenha-se informado dos resultados dos jogos de hoje e saiba que sempre pode ser parte dos prognósticos esportivos.

 

 

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,